Mundo

Exilado na Rússia desde 2013, Edward Snowden publicará livro de memórias

O livro "Permanent Record" será publicado mundialmente e estará à venda a partir de 17 de setembro

Edward Snowden: Ex-analista da Agência de Segurança Nacional americana, que ficou famoso por vazar informações sobre o programa de vigilância em massa do governo dos EUA, vai lançar livro de memórias (Frederick Florin/AFP)

Edward Snowden: Ex-analista da Agência de Segurança Nacional americana, que ficou famoso por vazar informações sobre o programa de vigilância em massa do governo dos EUA, vai lançar livro de memórias (Frederick Florin/AFP)

A

AFP

Publicado em 1 de agosto de 2019 às 13h42.

Edward Snowden, o ex-analista da Agência de Segurança Nacional americana (NSA, na sigla em inglês) que fugiu para a Rússia depois de vazar informações sobre o programa de vigilância em massa do governo dos Estados Unidos, publicará suas memórias - informou a editora nesta quinta-feira (1º).

O livro "Permanent Record" estará à venda a partir de 17 de setembro e será publicado mundialmente pela Macmillan Publishers.

Snowden, que trabalhava para a CIA, além da NSA, vive na Rússia desde 2013, após ter vazado milhares de papéis secretos para a imprensa. Esses documentos expuseram o alcance da vigilância dos Estados Unidos depois dos ataques do 11 de Setembro.

Enquanto seus defensores o elogiam por defender a privacidade, os Estados Unidos o acusam de pôr a segurança nacional em risco.

Snowden enfrenta acusações de espionagem nos Estados Unidos, pelas quais pode ser condenado a passar décadas na prisão.

"Aos 29 anos, Edward Snowden decidiu desistir de seu futuro para o bem de seu país", disse o CEO da Macmillan Publishers nos Estados Unidos, John Sargent, em um comunicado.

"Ele demonstrou enorme valor em fazer isso e, gostando, ou não, é uma incrível história americana", acrescentou. "Não há dúvida de que o mundo é um lugar melhor e mais privado, graças às suas ações", completou.

Em sua conta no Twitter, Snowden postou uma mensagem, informando ter escrito um livro, e incluiu um vídeo dele.

"Tudo o que fazemos hoje é para sempre, não porque queremos lembrar, mas porque não temos o direito de esquecer", diz ele no vídeo. "Ajudar a criar este sistema é do que mais me arrependo", conclui.

Acompanhe tudo sobre:Edward SnowdenNSARússia

Mais de Mundo

Chefe de campanha admite que Biden perdeu apoio, mas que continuará na disputa eleitoral

Biden anuncia que retomará seus eventos de campanha na próxima semana

Discurso de Trump não empolga e foco volta para possível saída de Biden; veja episódio

Telão da Times Square fica escuro após apagão cibernético; veja vídeo

Mais na Exame