EUA sanciona filhos de Putin e proíbe novos investimentos na Rússia

Medidas buscam impor custos às "atrocidades" cometidas pela Rússia, incluindo possíveis assassinatos de civis na Ucrânia
 (RIA Novosti Host Photo Agency/Alexander Vilf/Reuters)
(RIA Novosti Host Photo Agency/Alexander Vilf/Reuters)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 06/04/2022 12:47 | Última atualização em 06/04/2022 13:08Tempo de Leitura: 4 min de leitura

A Casa Branca anunciou nesta quarta-feira uma série de novas sanções contra a Rússia, em esforço coordenado com aliados da União Europeia (UE) e G-7 para punir Moscou pela ofensiva em andamento na Ucrânia. Segundo comunicado, as medidas buscam impor custos às "atrocidades" cometidas pelo Kremlin, incluindo possíveis assassinatos de civis nos arredores de Kiev.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Entre as ações, os Estados Unidos bloquearão ativos da maior instituição financeira russa, o Sberbank, e do maior banco privado do país, o Alfa Bank. Indivíduos americanos também ficarão proibidos de realizar transações com essas empresas, ou investir em algumas estatais. A lista de companhias do Estado alvos das sanções será divulgada pelo Departamento do Tesouro na quinta-feira, 7.

Ainda de acordo com a nota, o presidente dos EUA, Joe Biden, assinará um decreto executivo que proibirá novos investimentos na Rússia por cidadãos americanos.

Filhos de Putin

De acordo com a Bloomberg e com o Wall Street Journal, EUA e UE vão aplicar sanções contra Katerina Tikhonova e Maria Vorontsova, as duas filhas mais velhas do presidente russo Vladimir Putin, com sua primeira mulher, Liudmila Shkrebneva.

A vida das duas é cercada de mistério. Vorontsova seria dona da Nomeko, empresa envolvida na construção de um centro de oncologia em São Petersburgo, e Tikhonova estaria à frente de um instituto de inteligência artificial na Universidade de Moscou.

A UE também analisa incluir na lista outros políticos e oligarcas russos, como a família de Putin, a esposa e a filha do ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov. estariam no radar das sanções.

Sanções da UE

A Comissão Europeia propôs nesta terça, 5, novas sanções à Rússia, incluindo a proibição da importação de carvão e da entrada de navios russos em portos da União Europeia. As medidas devem ser aprovadas por todos os 27 membros do bloco. O gás e o petróleo, vitais para muitos países europeus, não serão incluídos no novo pacote.

"Todos nós vimos as fotos horríveis de Bucha e de outras áreas que as tropas russas deixaram recentemente. Essas atrocidades não podem e não ficarão sem resposta", afirmou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. "Os quatro pacotes de sanções atingiram duramente e limitaram as opções políticas e econômicas do Kremlin. Em razão dos eventos, precisamos aumentar ainda mais nossa pressão."

O carvão é extraído principalmente por empresas privadas na Rússia, não por estatais. Por isso, é visto como uma medida menos eficaz. A UE importa por ano cerca de US$ 4,3 bilhões em carvão russo, ainda muito pouco comparado ao fluxo de gás e petróleo, que rende ao país US$ 700 milhões por dia — dos quais US$ 400 milhões apenas pagos pela Europa. As receitas com impostos e tarifas de exportação ligadas ao petróleo e ao gás representaram 45% do orçamento da Rússia.

Além do banimento do carvão e dos navios russos em portos europeus, o novo pacote de sanções inclui também a proibição total de transações de quatro grandes bancos russos, entre eles o segundo maior do país, o VTB. Segundo Von der Leyen, caminhoneiros da Rússia também seriam proibidos de transportar mercadorias para a UE. As restrições incluem ainda a suspensão da venda para a Rússia de computadores quânticos, semicondutores máquinas e equipamentos de transporte. O pacote será debatido hoje por representantes do bloco em uma reunião na qual alguns ajustes podem ser introduzidos.

A União Europeia está discutindo a sanção das filhas do presidente russo, Vladimir Putin, segundo pessoas a par do assunto, enquanto o bloco tenta responder ao assassinato de civis ucranianos com a retirada de soldados russos.

A lista proposta, que ainda precisa ser aprovada pelos governos europeus e pode mudar antes que isso aconteça, também inclui dezenas de outros indivíduos, incluindo figuras políticas, magnatas e seus familiares e vários propagandistas.