Mundo

EUA querem criar zona neutra entre Síria e Turquia

Ideia ganhou força após violência de tropas sírias contra um campo de refugiados turco, diz a emissora CNN

A situação na Síria monopolizou hoje uma reunião do G8, que abordou possíveis novas medidas que tomar no caso Bashar al-Assad não cumprir sua promessa de cessar fogo (AFP)

A situação na Síria monopolizou hoje uma reunião do G8, que abordou possíveis novas medidas que tomar no caso Bashar al-Assad não cumprir sua promessa de cessar fogo (AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 11 de abril de 2012 às 23h12.

Washington - O governo dos Estados Unidos se propôs a criar uma zona neutra ou desmilitarizada na fronteira entre Síria e Turquia, uma ideia que ganhou força após os disparos de tropas sírias contra um campo de refugiados turco, informou nesta quarta-feira o canal CNN.

"É correto dizer que esta ideia está sendo revisada há mais ou menos uma semana", disse à rede de televisão um alto funcionário do Departamento de Estado que pediu anonimato.

A secretária de Estado, Hillary Clinton, conversou na segunda-feira sobre essa possibilidade com seu colega turco, Ahmed Davutoglu, durante uma conversa telefônica sobre a crise, acrescentou a CNN.

Davutoglu falou hoje por meio de uma videoconferência na reunião de ministros de Relações Exteriores do G8, realizada em Washington, e pediu a seus aliados que tomem novas medidas perante a crise síria.

"A Turquia disse sempre que havia duas condições que fariam com que se envolvessem mais nisto", disse o funcionário à emissora.

'Uma era se o número de refugiados se tornasse arrasador - e nos disseram que o número segue aumentando - e a segunda era se o conflito se estendesse para além da fronteira. Ainda não sabemos se acreditam que essas condições se cumpriram com o que passou nos últimos dias', acrescentou.

Após o ataque da segunda-feira, no qual morreram duas pessoas pelos disparos a um grupo de refugiados que estavam entrando na Turquia, o Ministério de Exteriores turco assegurou em uma nota que utilizaria 'as medidas adequadas se isso se repetir'.

Além disso, o Ministério turco assinalou na terça-feira que espera uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas para fixar medidas destinadas a proteger a população civil da Síria contra a violência do regime.

A situação na Síria monopolizou hoje grande parte da reunião ministerial do G8, que abordou possíveis novas medidas que tomar no caso de o regime de Bashar al-Assad não cumprir sua promessa de cessar a atividade militar em todo o país a partir desta quinta-feira.

'Estamos alarmados pela contínua violência na Síria e estamos preocupados pelos problemas enfrentados pelo enviado especial Kofi Annan em suas tentativas de conseguir um cessar-fogo e um fim à violência', afirmou Hillary no início da reunião.

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaCNNEmpresasEstados Unidos (EUA)EuropaMassacresPaíses ricosPolíticaSíriaTurquia

Mais de Mundo

Fãs de Trump se reúnem em Milwaukee para lhe dar apoio: "precisa saber que é amado"

Biden pede que país 'reduza a temperatura política' e que evite o caminho da violência

Nikki Haley é convidada de última hora como oradora para convenção republicana

FBI crê que atirador que tentou matar Trump agiu sozinho e não pertence a grupo terrorista

Mais na Exame