EUA não descarta hipótese de fuga acidental do vírus Sars-Cov-2 na China

Os serviços de Inteligência estão cooperando com outras agências governamentais e universidades para tentar determinar a procedência exata do vírus

Os serviços de Inteligência americanos ainda não descartaram a hipótese de um acidente laboratorial para explicar o aparecimento em Wuhan, na China, da pandemia de covid-19, informaram  autoridades nesta quarta-feira (14). 

A saúde mental não precisa ser um tabu. Para entender os impactos da saúde mental na sua produtividade e finanças pessoais, faça o curso Mente em Foco: Investindo na sua Saúde Mental Para Alcançar Potencial, de EXAME Academy.

"A comunidade de Inteligência não sabe exatamente onde, quando ou como o vírus da covid-19 foi transmitido", afirmou a diretora da Inteligência americana, Avril Haines, a um comitê do Senado.

Ela mencionou "duas teorias" que explicam a origem do coronavírus: o contato humano com animais infectados ou um acidente de laboratório.

"Continuamos trabalhando neste tema, estamos compilando informação e estamos fazendo tudo o possível para dar maior confiabilidade" às explicações sobre a origem da pandemia.

"Estamos fazendo tudo o que podemos e estamos usando todos os recursos à nossa disposição para lançar luz sobre isto", acrescentou o diretor da CIA, William Burns.

Mas, "o que está claro para nós e nossos especialistas é que os líderes chineses não foram totalmente francos nem transparentes em sua cooperação" com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema, acrescentou.

Os serviços de Inteligência estão cooperando com outras agências governamentais e universidades para tentar determinar a procedência exata do vírus, afirmou o general Paul Nakasone, chefe da agência de Inteligência militar, a NSA.

Em seu relatório publicado no fim de março, os especialistas internacionais da OMS haviam considerado "extremadamente improvável" a teoria segundo a qual o coronavírus poderia ter escapado do Instituto de Virologia de Wuhan, a cidade da região central da China onde a covid-19 apareceu no fim de 2019.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.