EUA anuncia mais sanções contra Rússia, por "guerra brutal" na Ucrânia

Secretário de Estado americano, Antony Blinken, diz que estão sendo designados oligarcas russos, entidades estatais e "autoridades ilegítimas" como alvos da medida
Joe Biden: EUA anuncia novas sanções contra o país, por causa da "guerra brutal" conduzida na Ucrânia. (AFP/AFP)
Joe Biden: EUA anuncia novas sanções contra o país, por causa da "guerra brutal" conduzida na Ucrânia. (AFP/AFP)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 02/08/2022 às 15:40.

Última atualização em 02/08/2022 às 15:44.

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira, 2, em comunicado, novas sanções contra a Rússia, por causa da "guerra brutal" conduzida pelo país na Ucrânia. O secretário de Estado americano, Antony Blinken, diz que estão sendo designados oligarcas russos, entidades estatais e "autoridades ilegítimas" como alvos da medida.

Três oligarcas russos foram punidos pelos EUA hoje, Dmitry Aleksandrovich Pumpyanskiy, Andrey Igorevich Melnichenko e Alexander Anatolevich Ponomarenko. Além disso, a Joint Stock Company State Transportation Leasing Company e quatro de suas subsidiárias também foram punidas.

LEIA TAMBÉM: Pelé manda carta para Putin e pede fim à invasão na Ucrânia

O Departamento de Estado também puniu quatro outros indivíduos e uma entidade que "operam ilegitimamente em território da Ucrânia em colaboração com a Rússia". Vários dos alvos foram designados por aliados e parceiros dos EUA, diz o texto.

Com a punição, ativos dos EUA desses indivíduos ou empresas são congelados, explica o comunicado.

(Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM:

EUA enviará mais US$ 550 milhões em armas à Ucrânia

Biden convoca Rússia e China a negociar controle de armas nucleares