A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Este homem não quer saber quem é o novo presidente dos EUA

Quase duas semanas depois das eleições presidenciais, americano ainda não sabe o nome do 45º presidente do seu país. E pretende permanecer assim

São Paulo – “Estou vivendo em uma bolha de ignorância abençoada”. É assim que o artista americano Joe Chandler descreve o seu dia a dia desde a noite de 8 de novembro, quando o mundo inteiro conheceu o nome do sucessor de Barack Obama e o 45º presidente dos Estados Unidos (o empresário republicano Donald Trump, no caso).

Morador da cidade de Brunswick, estado da Geórgia, Chandler contou à rede de televisão local Fox 5 Atlanta estar farto do “atual sistema político” e dos escândalos nas redes sociais. Por essas razões, decidiu se deitar mais cedo na noite das eleições e durante a apuração das urnas e sem saber quem seria o vencedor.

Quando acordou, sentiu-se em paz sem essa notícia e resolveu continuar assim. Em tempos de redes sociais em que o mundo das informações está mais acessível do que nunca, Chandler desenvolveu uma estratégia nada mirabolante para se proteger.

Ele trabalha de casa e quando precisa sair, usa um par de fones de ouvido e uma placa onde se lê: “Eu não sei quem ganhou e não quero saber. Por favor, não me conte. ” Além disso, tem evitado jornais, televisão e internet. Sua filha, que vive na cidade de Atlanta, é a responsável por lhe enviar notícias do dia a dia, todas adequadamente editadas. Veja abaixo:

Bom, ao que tudo indica, quase duas semanas depois de decidido o pleito, ele ainda não sabe e nem pretende saber o nome do seu próximo presidente. Pelo menos é o que mostra a última atualização divulgada em perfil nas redes sociais. Reconheceu, contudo, que essa informação chegará até ele cedo ou tarde.

Quando perguntado em qual dos candidatos votou, respondeu apenas que não era fã de nenhum deles.

Eleições americanas

Consideradas uma das mais escandalosas e polêmicas da história do país, as eleições presidenciais de 2016 foram decididas na madrugada do dia 9 de novembro e consolidaram Trump como presidente.

A democrata Hillary Clinton venceu no voto popular (62,5 milhões contra 61,2 milhões do republicano), mas isso não foi o suficiente para concedê-la os delegados necessários no Colégio Eleitoral. Neste processo, a ex-secretária de Estado registrou 232 delegados, enquanto o empresário abocanhou 290. São necessários 270 para garantir uma eleição.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também