"Espero que não seja necessário paralisar o governo", diz Trump

Questionado se sua ameaça de paralisar o governo mudaria após o Furacão Harvey, Trump disse que "uma coisa não tem a ver com a outra"

São Paulo - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje que espera que não seja necessário paralisar o governo para que seu prometido muro na fronteira com o México seja financiado.

Em uma coletiva de imprensa na Casa Branca, ao lado do presidente da Finlândia, Sauli Niinisto, Trump foi questionado se sua ameaça de paralisar o governo - caso suas propostas não sejam aprovadas pelo Congresso - mudaria após a destruição deixada pela Furacão Harvey no sul do país.

O presidente respondeu que "uma coisa não tem a ver com a outra", reiterou que o muro será construído e insistiu que o México pagará "de um jeito ou de outro", "nem que seja pelo reembolso", sem dar detalhes de como convencerá o governo mexicano.

Ele defendeu que o muro será bom para ambos os países e crucial para combater o tráfico de drogas em seu país. "O muro vai impedir o tráfico de drogas que envenena nossa juventude", disse.

Trump ainda reclamou que "o México tem sido difícil" nas negociações do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) e disse que esse era pior acordo comercial do mundo, uma vez que privilegia o Canadá e o México, na visão do republicano.

Na coletiva, Trump prometeu "pleno apoio" ao Texas e à Louisiana após a passagem da tempestade tropical Harvey e disse que deve visitar essas regiões no sábado. O presidente prestou solidariedade aos atingidos.

"Tragédias como essa trazem o melhor do americano: força, caridade e resiliência". Trump disse que o Congresso terá uma rápida resposta para a catástrofe e que "o Texas se recuperará muito rapidamente".

Os mandatários ainda responderam questões sobre a situação entre Rússia e EUA e o papel da Finlândia numa possível escalada de tensões entre as duas potências nucleares.

O líder finlandês, que lembrou que seu país realiza treinos militares ao lado dos americanos e dos Suecos no Mar Báltico - compartilhado também com a Rússia - disse que está comprometido com o diálogo entre a Organização do Tratado do Atântico Norte (Otan) e a Rússia. "Estamos fazendo o possível para ter paz no Mar Báltico".

Trump disse que é bom para a paz mundial os EUA e a Rússia se darem bem, mas afirmou que "o Mar Báltico será protegido caso as tensões aumentem". Ele agradeceu o apoio da Finlândia na coalizão contra o Estado Islâmico e manifestou solidariedade pelo atentado na Finlândia. "EUA e Finlândia devem trabalhar juntos contra o terrorismo".

Niinisto disse que discutiu questões ambientais com Trump e alertou para a preservação do Ártico. "Se perdermos o Ártico, perdemos o mundo", disse. Trump, que recentemente assinou diretrizes para reduzir regulamentações ambientais em seu país, disse que quer "água e ar limpos".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.