Elizabeth II está em moedas, selos, caixas postais e até ketchup. Quanto custará mudar?

Atualização para imagem do rei Charles III deverá demorar e ser feita gradativamente, sem grandes investimentos
Rainha Elizabeth II morreu há dez dias e, desde então, filho assumiu como soberano no Reino Unido (Matthew Chattle/Future Publishing/Getty Images)
Rainha Elizabeth II morreu há dez dias e, desde então, filho assumiu como soberano no Reino Unido (Matthew Chattle/Future Publishing/Getty Images)
A
Agência O GloboPublicado em 18/09/2022 às 15:20.

A imagem da rainha Elizabeth II é onipresente. Seu rosto está estampado no dinheiro britânico – seja nas notas de 5 e 50 libras e nas moedas de bronze de uma libra. Está em caixas de correio e selos. As armas reais estão em potes de condimentos e jaquetas. Desde sua morte no dia 8 deste mês, o rosto de Elizabeth está em toda a cobertura jornalística ininterrupta. Mas em pouco tempo, o rei Charles III substituirá sua mãe em funções oficiais e não oficiais.

Muita coisa vai mudar. Mas há uma espécie de fresta de esperança para esta reforma real.

"O custo da monarquia, que é significativo, vem com os custos contínuos que deveriam ser controlados e não foram", disse Norman Baker, ex-ministro do governo e autor do livro "… And What Do You Do? What the Royal Family Don’t Want You to Know.” (... E o que você faz? O que a família real não quer que você saib, em tradução livre).

Em outras palavras, tudo já é tão caro que substituir uma realeza por outra não é um grande investimento. Entenda:

Caixas postais

Não é incomum encontrar caixas de correio adornadas com as insígnias de monarcas que serviram muito antes de Elizabeth. Existem cerca de 115.500 caixas de correio em todo o Reino Unido, e 61,4% delas, que remontam ao reinado da rainha Vitória, carregam a cifra real de Elizabeth, de acordo com o Royal Mail Group. Todas as caixas de correio e aquelas já em produção com as iniciais de Elizabeth permanecerão intactas, diz o site do serviço.

Quando uma nova caixa de correio for criada, porém, ela levará a insígnia de Charles, segundo Baker, que destacou que o país envia menos correspondência do que antes. Mesmo assim, a insígnia de Charles acabará adornando as caixas postais do país. Simplesmente não haverá tantas delas.

"O custo de uma caixa postal não está relacionado a se é uma mudança de monarquia ou não. O custo de Charles estar lá em vez da rainha é mínimo. Quer dizer, não é nada", acrescentou Baker.

Selos

O Royal Mail Group ainda não anunciou o plano para os selos do rei Charles, mas, claro, os que têm a imagem de Elizabeth ainda são válidos. Uma mudança que não tem nada a ver com suas altezas reais: o Royal Mail está em processo de adicionar códigos de barras aos selos, uma medida que aumentaria a segurança e permitiria que as pessoas acessem vídeos pelo aplicativo Royal Mail. Os selos sem os códigos de barras - que apresentam a rainha - serão válidos apenas até o início do próximo ano.

"De repente, suponho, apenas o selo do dia a dia se tornou um item de colecionador, e isso é bastante interessante", disse Laura Clancy, professora de mídia na Lancaster University. "Muda o significado do objeto, certo? De um objeto cotidiano a algo mais especial".

Notas de libras

Existem mais de 4,7 bilhões de notas do Banco da Inglaterra em circulação no valor de cerca de 82 bilhões de libras (cerca de US$ 93,5 bilhões). Elizabeth foi a primeira monarca a aparecer nas notas do Banco da Inglaterra em 1960 – então não há precedentes para o que acontecerá durante uma mudança na monarquia.

O custo da criação de novos moldes para acomodar Charles seria "relativamente insignificante", segundo Mauro F. Guillén, reitor da Cambridge Judge Business School, que estimou que a eliminação gradual da moeda com Elizabeth será um processo de dois a quatro anos.

A ascensão de Charles está ocorrendo à medida que o Banco da Inglaterra continua a substituir as notas de papel por notas de polímero para evitar fraudes e reduzir a transmissão de germes. Em 2016, o banco introduziu uma nota de polímero de 5 libras que apresentava Elizabeth e Winston Churchill, o ex-primeiro-ministro.

Um outro fator na criação de uma moeda com a imagem de Charles, de acordo com Baker: o rei consegue aprovar a imagem.

Moedas

Existem 29 bilhões de moedas britânicas em circulação com o rosto de Elizabeth e, em todas elas, ela está voltada para a direita. Desde o reinado de Charles II, no século 17, novos reis e rainhas enfrentaram a direção oposta de seus antecessores em moedas, com exceção de Eduardo VIII, que preferiu ficar virado para a esquerda. A menos que o novo rei expresse uma preferência diferente, ele estará voltado para a esquerda.

Guillén disse que as moedas são mais caras de produzir do que as notas bancárias, pois são mais duráveis. Ele estava relutante em calcular quanto custaria a produção das novas moedas - estimando cerca de US$ 600 milhões -, mas observou que levaria vários anos para eliminar as moedas mais antigas, e a conta total poderia flutuar significativamente.

Condimentos

Empresas tão diferentes quanto Heinz e Burberry usam o brasão de Elizabeth em frascos de ketchup e casacos, mas isso vai mudar. Para ser elegível para usar o Royal Arms, uma empresa deve ter fornecido produtos e serviços à família real por pelo menos cinco dos últimos sete anos. Mais de 600 empresas, incluindo Barbour, Command Pest Control e Swarovski, atualmente possuem mandados concedidos por Elizabeth, de acordo com a Royal Warrant Holders Association.

Agora que Elizabeth morreu, empresas como a Heinz, que receberam mandados da rainha, têm dois anos para continuar usando o brasão. Após esse período, a Heinz deve atualizar as garrafas de ketchup que circulam no Reino Unido, embora possa não ser um custo significativo.

"Não estamos falando em mudar o ketchup. Estamos falando em mudar uma parte muito, muito pequena da embalagem", disse Guillén.

Outros produtos não oficiais também estão vendo o efeito de mercado da morte da rainha. O Silk Road Bazaar, por exemplo, faz enfeites de feltro que vende no Etsy e para clientes atacadistas, atendendo a anglófilos, pessoas que admiram ou amam a Inglaterra, seu povo, sua cultura e sua língua. Seus designs incluem Elizabeth, um corgi laranja e branco, Big Ben, e agora, Charles e Camilla, a rainha Consorte.

Em agosto, o Silk Road Bazaar vendeu apenas três ornamentos de Elizabeth no Etsy e um do então príncipe Charles, disse Andrew Kuschner, fundador da empresa. Até agora este mês, no entanto, vendeu 60 ornamentos de Elizabeth e oito do rei Charles.