EI pune clérigo que se opôs a morte de piloto jordaniano

Religioso, um cidadão saudita, manifestou sua contrariedade durante encontro do órgão clerical do Estado Islâmico na cidade de Al-Bab, na província de Aleppo

Beirute - Um clérigo do Estado Islâmico que se opôs à decisão do grupo de queimar vivo um piloto jordaniano capturado foi removido de seu cargo e será julgado, disse nesta sexta-feira o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

O religioso, um cidadão saudita, manifestou sua contrariedade durante encontro do órgão clerical do Estado Islâmico na cidade de Al-Bab, na província de Aleppo, de acordo com Rami Abdulrahman, que dirige o Observatório.

A morte foi amplamente condenada por clérigos muçulmanos. Mesmo algumas figuras ligadas à Al Qaeda disseram que o assassinato foi não islâmico.

Um vídeo divulgado por militantes do Estado Islâmico na terça-feira mostrou o piloto, Mouath al-Kasaesbeh, sendo queimado vivo dentro de uma jaula.

O clérigo saudita do Estado Islâmico disse que os responsáveis pela morte deveriam ser julgados, de acordo com o Observatório. Abdulrahman, cuja organização obtém informações por meio de uma rede de fontes no terreno, disse que o grupo agora pode matar o religioso.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.