• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Cuba quer oferecer vacina própria contra covid-19 a turistas estrangeiros

País prevê receber 100.000 turistas nos últimos 45 dias de 2021
Cuba: durante a pandemia, país sofreu um duro golpe econômico pela ausência de visitantes. (Getty Images/YAMIL LAGE / Colaborador)
Cuba: durante a pandemia, país sofreu um duro golpe econômico pela ausência de visitantes. (Getty Images/YAMIL LAGE / Colaborador)
Por AFPPublicado em 19/10/2021 21:44 | Última atualização em 19/10/2021 20:32Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Cuba se prepara para abrir as portas ao turismo internacional em meados de novembro com a eliminação da quarentena obrigatória e com planos para oferecer suas vacinas contra a covid-19 aos viajantes, informou nesta terça-feira (19) o Ministério do Turismo da ilha. 

"Estamos trabalhando para ver se é possível oferecer as vacinas para todos os clientes que nos visitarem", afirmou o ministro de Turismo, Juan Carlos García, em coletiva de imprensa.

Cuba, que durante a pandemia sofreu um duro golpe econômico pela ausência de visitantes e prevê receber 100.000 turistas nos últimos 45 dias de 2021, aproveitará o fato de contar com vacinas de produção própria.

Com esse produto, "podemos ter um atributo diferenciador de outros destinos" turísticos do mundo, disse o ministro à AFP ao término da coletiva.

"Se não for possível até o dia 15 [de novembro]", quando serão abertas as fronteiras, o serviço de vacinas para turistas estará funcionando até 20 de novembro, ou até 1º de dezembro, antecipou.

A oferta de vacinas, no entanto, não estará sujeita a pacotes turísticos e dependerá de requisição dos viajantes.

"As pessoas não vêm [por um período longo], se você for tomar a Soberana 02 [...] o vacinamos, lhe oferecemos outro tratamento de bem-estar, de qualidade de vida e lhe damos um frasco com as outras duas doses para que você possa levar", explicou García.

O imunizante é administrado em três doses a cada 28 dias, duas da Soberana 02 e uma terceira da Soberana Plus. Esta última também poderá ser uma opção para pacientes convalescentes que requerem apenas uma aplicação, assinalou.

As vacinas cubanas contra o coronavírus Soberana 02, Soberana Plus e Abdala contam com autorização de uso emergencial da autoridade regulatória de medicamentos de Cuba. Além disso, o governo já solicitou à OMS sua aprovação.

Com cerca de 11,2 milhões de habitantes, Cuba se abrirá após registrar uma redução significativa de casos e óbitos por covid-19 nas últimas semanas, somando até esta terça-feira 938.577 diagnósticos e 8.101 mortes desde o início da pandemia em 2020.

Até 17 de outubro, 6.790.452 cubanos já tinham recebido o ciclo completo de vacinação, segundo dados do Ministério de Saúde, que prevê que 90% da população vacinável esteja imunizada em novembro.

García também anunciou a eliminação dos testes PCR obrigatórios na chegada ao aeroporto, mas manterá uma testagem aleatória aos viajantes. Os turistas deverão portar o passaporte de saúde ou um teste PCR negativo feito com até 72 horas de antecedência da chegada.

A indústria turística de Cuba, que é vital para a economia da ilha, colapsou desde que a pandemia de covid-19 começou. No primeiro semestre do ano passado, o país recebeu apenas 21,8% dos turistas em comparação com o mesmo período de 2020 (1.239.099 visitantes).

Para 2022, o governo espera 2 milhões de turistas, uma cifra que ainda está muito abaixo dos 4 milhões que ingressavam anualmente no país antes da pandemia.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME