Cuba anuncia que começará a vender dólares para criar um mercado de câmbio

Moeda americana só poderá ser vendida a cidadãos, pelo câmbio de 120 pesos cubanos por dólar
Cuba: país anuncia que começará a vender dólares para criar um mercado de câmbio (Henry Romero/Reuters)
Cuba: país anuncia que começará a vender dólares para criar um mercado de câmbio (Henry Romero/Reuters)
A
Agência O GloboPublicado em 23/08/2022 às 07:00.

Cuba começará a vender dólares à população, a partir desta terça-feira, informaram autoridades, 20 dias depois que bancos e casas de câmbio começaram a comprar moeda estrangeira a 120 pesos cubanos, com a intenção de construir um mercado de câmbio.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

"Vamos começar a vender moeda estrangeira a partir de amanhã (hoje)", disse o ministro da Economia, Alejandro Gil, durante o programa de televisão estatal Mesa Redonda.

A medida visa "construir um mercado cambial" no país "que permita uma troca legal de moeda, avançando no sentido de conferir maior poder de compra à moeda nacional", disse Gil.

Com a intenção de arrebatar dólares do mercado informal, em 4 de agosto, bancos e casas de câmbio começaram a comprar dólares a 120 pesos cubanos por dólar, uma taxa que na época era semelhante à vigente no mercado informal.

A venda de dólar estava suspensa desde junho de 2021, por falta de liquidez. O preço da moeda americana disparou quase cinco vezes no mercado paralelo, depois que o governo colocou em vigor uma reforma financeira, em janeiro daquele ano, com a qual atrelou a moeda a 24 pesos cubanos.

Há três semanas, as autoridades explicaram que, sem ter moeda estrangeira para vender, tinham que começar apenas com a compra.

LEIA TAMBÉM: Promotor da Argentina pede 12 anos de prisão para Cristina Kirchner por corrupção

Retomar o controle

A presidente do Banco Central cubano, Marta Sabina Wilson, disse que a medida teve "um resultado favorável". Nesses 20 dias, as entidades financeiras “compraram 10 vezes mais moeda estrangeira do que comprariam em um mês com o câmbio de 24” pesos cubanos.

Mas, segundo Wilson, a venda de dólares será destinada apenas aos cidadãos, não a pequenas e médias empresas privadas.

– A taxa de câmbio que foi levada em conta (para a venda) permanece em 120 pesos cubanos por moeda – completou.

A venda de dólares será limitada às agências da Cadeca, casas de câmbio cubanas, mas não serão autorizadas as agências aeroportuárias e bancárias para esta operação.

LEIA TAMBÉM: Quem é Alexander Dugin, o 'guru de Putin', que perdeu filha em explosão na Rússia

Essas agências, localizadas no centro de cada município, só vão "vender o que compraram", disse a presidente do Banco Central, esclarecendo que cada cidadão só poderá comprar até 100 dólares.

Esta cotação de 120 pesos por dólar não cobre todas as atividades econômicas. O governo mantém em vigor duas taxas de câmbio, com as quais a paridade oficial de 24 pesos continuará em vigor para transações de empresas estatais e outras atividades da economia da ilha socialista.

Quando a compra foi anunciada, economistas cubanos criticaram a medida como incompleta, dizendo que faria disparar o preço da moeda americana no mercado paralelo.

Naquela época, a taxa informal era de cerca de 120 pesos por dólar. Nessa segunda-feira estava sendo negociada a 140 pesos no paralelo.

"Vamos defender o câmbio a 120. Agora vamos dar um jeito para o Estado, já participando da operação de venda, poder defender esse câmbio", assegurou o ministro Gil.

Num primeiro passo, as autoridades têm de "estabilizar a taxa de câmbio" para que o Estado possa recuperar o controle do mercado cambial que tinha perdido, concluiu.

LEIA TAMBÉM: Ucrânia reconhece morte de 9 mil soldados nos seis meses de guerra