Crise europeia não vai secar crédito na AL como aconteceu em 2008

Na avaliação da consultoria Austin Rating, é prematuro dizer que países emergentes vão sofrer com falta de liquidez

São Paulo - Um eventual agravamento da crise europeia não deve gerar impactos traumáticos na economia da América Latina, que continua com boas perspectivas em 2011.

A avaliação é do economista da consultoria Austin Rating Leonardo Santos, que participou nesta quinta-feira (13) do programa “Momento da Economia”, na Rádio EXAME.

Ao contrário do alerta feito pelo Banco Mundial (Bird), o economista considera prematuro dizer que os países europeus poderão diminuir suas posições em países emergentes para reduzir perdas.

“Mesmo num momento de dificuldade maior, em que se busque liquidez em filiais na América Latina, isso não vai afetar significativamente o crédito. É claro que o crédito pode, em algum momento, ser reduzido, mas não da mesma maneira como a gente observou ao longo do último trimestre de 2008 e primeiro trimestre de 2009 por conta da crise, que foi uma situação extremamente complexa e crítica. Além disso, os mercados emergentes apresentam boas perspectivas de crescimento, o que garante um bom fluxo financeiro para esses países (europeus) se eles mantiverem suas posições (nos mercados emergentes).”

Leonardo Santos considera adequada a revisão do crescimento do PIB mundial nesse ano de 3,9% para 3,3% anunciada pelo Bird. Outro ponto destacado no relatório é atendência de alta dos preços das commodities. “Além da demanda da China por matérias-primas, o processo de inflação vai continuar perturbando um pouco a dinâmica de preços mundiais sobretudo pela expectativa de quebra de safras por conta de fatores climáticos.”

Na entrevista (para ouvi-la na íntegra, clique na imagem ao lado”, o economista da Austin Rating avalia a expectativa de aperto monetário no Brasil e os impactos no câmbio.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.