Mundo
Acompanhe:

Grécia vai impor novo confinamento para frear 2ª onda de covid-19

Confinamento deve começar a partir de sábado e apenas as "lojas essenciais", como supermercados e farmácias seguirão abertas

Kyriakos Mitsotakis: "Se continuarmos neste ritmo, em 10 dias teremos mais de 1.000 pessoas no hospital" (Costas Baltas/Reuters)

Kyriakos Mitsotakis: "Se continuarmos neste ritmo, em 10 dias teremos mais de 1.000 pessoas no hospital" (Costas Baltas/Reuters)

A
AFP

Publicado em 5 de novembro de 2020, 10h51.

Última atualização em 5 de novembro de 2020, 11h23.

A Grécia vai instaurar um novo confinamento a partir de sábado durante pelo menos três semanas, anunciou nesta quinta-feira o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis durante uma entrevista coletiva virtual, durante a qual destacou a necessidade de frear a segunda onda que afeta o país.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor

"Era uma decisão difícil, mas temos que tomar medidas durante três semanas para vencer esta segunda onda", afirmou o chefe de Governo.

O confinamento deve começar às 6H00 locais de sábado e apenas as "lojas essenciais", como supermercados e farmácias seguirão abertas, informou Kyriakos Mitsotakis.

Para sair de casa, os gregos precisarão indicar às autoridades o motivo e o horário por mensagem de texto e obter uma autorização pelo mesmo sistema.

Ao contrário do primeiro confinamento imposto por seis semanas no fim de março, as creches e escolas do ensino básico permanecerão abertas, anunciou o primeiro-ministro.

O ensino a distância voltará ao ensino médio. As universidades já estavam com aulas virtuais.

O novo confinamento acontece em um momento de aumento do número de novos casos de coronavírus na Grécia, mais de 2.600 na quarta-feira.

O balanço da covid-19 na Grécia inclui 673 mortes e quase 47.000 casos positivos.

"Se continuarmos neste ritmo, em 10 dias teremos mais de 1.000 pessoas no hospital", advertiu Mitsotakis.