Coronavírus: mortes na Itália ficam abaixo de 100 pela 1ª vez desde março

Países da Europa, como a Itália, têm retomado as atividades após meses em quarentena

As mortes pela epidemia de Covid-19 na Itália subiram em 99 nesta segunda-feira, contra alta de 145 no dia anterior, informou a Agência de Proteção Civil do país, marcando o primeiro registro abaixo de 100 desde 9 de março.

Os novos casos aumentaram em apenas 451, contra alta de 675 no domingo, o número diário mais baixo desde 2 de março.

O declínio no número diário de mortes desta segunda-feira contrariou uma tendência de longo prazo na qual as mortes caíam aos domingos apenas para aumentar novamente no dia seguinte.

O número total de mortos desde o surgimento do surto, em 21 de fevereiro, agora é de 32.007, segundo a agência, o que representa o terceiro maior número de óbitos do mundo, depois dos Estados Unidos e do Reino Unido.

O número de casos confirmados desde o início do surto é de 225.886, o sexto maior número do mundo atrás dos Estados Unidos, Rússia, Espanha, Reino Unido e Brasil.

As pessoas registradas como portadoras da doença caíram de 68.351 para 66.553.

Havia 749 pessoas em terapia intensiva nesta segunda-feira, contra 762 no domingo, mantendo um declínio de longa duração. Dos infectados originalmente, 127.326 foram declarados recuperados, contra 125.176 no dia anterior.

A agência disse que 1,959 milhão de pessoas foram testadas para o vírus, ante 1,933 milhão no domingo, dentro de uma população de cerca de 60 milhões.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também