Coreia do Norte envia carta contra novas sanções dos EUA

Protesto foi apresentado pelo recém-reativado Comitê de Assuntos Exteriores da Suprema Assembleia do Povo da Coreia do Norte

Seul - A Coreia do Norte enviou uma carta de protesto à Câmara dos Deputados dos Estados Unidos nesta sexta-feira alertando que um novo pacote de sanções mais rígidas só irá incentivá-la a desenvolver armas nucleares, noticiou a mídia estatal norte-coreana.

O protesto foi apresentado pelo recém-reativado Comitê de Assuntos Exteriores da Suprema Assembleia do Povo da Coreia do Norte, que disse que a Câmara dos EUA é "obcecada" por um sentimento de desaprovação, e advertiu para sérias consequências.

"A Câmara dos Deputados dos EUA deveria pensar duas vezes", disse o comitê na carta, uma cópia da qual foi publicada pela agência de notícias estatal KCNA.

A tensão está alta há semanas devido ao desenvolvimento nuclear e de mísseis da Coreia do Norte e aos temores de que o país possa realizar seu sexto teste atômico ou lançar outro míssil balístico em desafio a resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Neste mês a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou por maioria uma legislação que endurece as sanções visando a indústria de transporte marítimo do regime e empresas que negociam com ela.

A legislação foi concebida para cortar os suprimentos de dinheiro que ajudam a financiar o programa nuclear norte-coreano e aumentar a pressão para deter abusos de direitos humanos, como o uso de trabalho escravo, disse o autor do projeto de lei.

O comitê da Coreia do Norte disse que a ação irá fracassar.

"À medida que a Câmara dos Deputados dos EUA adota cada vez mais destas leis irresponsáveis e hostis, os esforços da RPDC (República Popular Democrática da Coreia) para fortalecer seus meios de dissuasão nuclear irão adquirir um ritmo mais acelerado, além da imaginação de qualquer um", disse o comitê.

No mês passado, a Coreia do Norte ressuscitou o Comitê de Assuntos Exteriores, abolido no final dos anos 1990, o que analistas veem como uma tentativa de melhorar as relações com o mundo exterior em meio ao seu isolamento crescente.

O organismo é presidido por Ri Su Yong, um diplomata de carreira forte aliado do líder Kim Jong Un.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.