Mundo

Conselho de Segurança vai se pronunciar no fim do mês sobre adesão da Palestina

Em setembro de 2011, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, deu início aos trâmites, não concluídos

Palestina: Para o pedido ser aprovado, é necessária uma recomendação positiva do Conselho de Segurança (AFP)

Palestina: Para o pedido ser aprovado, é necessária uma recomendação positiva do Conselho de Segurança (AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 8 de abril de 2024 às 20h13.

Tudo sobreConselho de Segurança da ONU
Saiba mais

O Conselho de Segurança da ONU vai se pronunciar no fim do mês sobre o pedido de adesão plena dos palestinos à organização, um processo histórico, ao qual Israel se opõe, informou a embaixadora de Malta, Vanessa Frazier, que ocupa a presidência rotativa do órgão.

Em setembro de 2011, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, deu início aos trâmites, não concluídos. Em novembro de 2012, os palestinos alcançaram o status de "Estado observador não membro” da ONU.

'Momento histórico'

Na semana passada, os palestinos refizeram o pedido ao Conselho de Segurança, que iniciou nesta segunda-feira (8) o processo de avaliação. “É um momento histórico”, ressaltou o embaixador palestino na ONU, Riyad Mansour, apesar de a adesão ser improvável.

Para o pedido ser aprovado, é necessária uma recomendação positiva do Conselho de Segurança, com pelo menos nove votos a favor e sem o veto de nenhum membro permanente. Em seguida, é necessário o voto a favor de dois terços da Assembleia Geral.

Guerra em Gaza

Analistas não acreditam que a iniciativa vá superar a etapa do Conselho de Segurança, instância na qual os Estados Unidos já se opuseram em 2011. “Nossa posição não mudou", ressaltou hoje o vice-embaixador americano, Robert Wood, insistindo em que o reconhecimento de um Estado palestino têm que ser feito no âmbito de um acordo com Israel.

O embaixador israelense na ONU, Gilad Erdan, criticou o pedido palestino e disse que sua simples avaliação "já representa uma vitória" para aqueles que cometeram e apoiaram os ataques do Hamas contra Israel em 7 de outubro.

Acompanhe tudo sobre:PalestinaAutoridade PalestinaIsraelHamasFaixa de Gaza

Mais de Mundo

Legisladores democratas aumentam pressão para que Biden desista da reeleição

Entenda como seria o processo para substituir Joe Biden como candidato democrata

Chefe de campanha admite que Biden perdeu apoio, mas que continuará na disputa eleitoral

Biden anuncia que retomará seus eventos de campanha na próxima semana

Mais na Exame