Mundo
Acompanhe:

Congresso dos EUA aprova US$ 60 bi para vítimas do "Sandy"

A ajuda será dirigida principalmente a moradores e estabelecimentos dos estados de Nova York e Nova Jersey, os mais afetados pela passagem da tempestade


	Furacão Sandy: segundo o presidente americano, até o momento cerca de US$ 3 bilhões já foram destinado aos trabalhos de recuperação
 (Getty Images/ Mario Tama)

Furacão Sandy: segundo o presidente americano, até o momento cerca de US$ 3 bilhões já foram destinado aos trabalhos de recuperação (Getty Images/ Mario Tama)

D
Da Redação

29 de janeiro de 2013, 06h33

Washington - O Congresso dos Estados Unidos completou nesta segunda-feira a aprovação de um pacote de ajuda de mais de US$ 60 bilhões para as vítimas do ciclone "Sandy", que castigou a costa leste do país em outubro passado com um saldo de mais de 100 mortes e perdas milionárias.

O Senado aprovou, com 62 votos a favor e 36 contra, um projeto de lei no valor de mais de US$ 50 bilhões que já recebera o sinal verde da Câmara dos Representantes há duas semanas.

A esse montante é preciso somar mais US$ 9,7 bilhões, valor aprovado no início do mês por ambas as câmaras para que as companhias de seguros façam os desembolsos necessários por conta de inundações relacionadas com "Sandy".

O montante total de ajuda supera US$ 60 bilhões, o valor pedido inicialmente pelo Governo do presidente Barack Obama, que agora deverá assinar a medida para que se transforme em lei.

A ajuda será dirigida principalmente a moradores e estabelecimentos dos estados de Nova York e Nova Jersey, os mais afetados pela passagem da tempestade pela costa leste do país, assim como os Governos estaduais e locais encarregados das tarefas de reconstrução.

"Vamos seguir trabalhando em estreita colaboração com governadores e prefeitos para nos assegurar de que esse dinheiro seja utilizado adequadamente", disse Obama.

Segundo o presidente americano, até o momento cerca de US$ 3 bilhões já foram destinado aos trabalhos de recuperação, entre eles "centenas de milhões que foram diretamente para famílias e negócios afetados pela tempestade".

"Sandy", que também afetou Jamaica, Haiti, República Dominicana, Cuba e Bahamas, provocou perdas superiores a US$ 50 bilhões nos EUA e deixou mais de oito milhões de pessoas sem luz.