Combates no Iêmen matam 27 soldados e 12 terroristas

Grupo ligado à Al Qaeda afirmou em comunicado que as baixas militares aconteceram quando o Exército iemenita e seus aliados tribais lançaram uma ofensiva

Sana - O grupo Ansar al Sharia, ligado à Al Qaeda, reivindicou a morte de sete soldados iemenitas e 27 combatentes tribais nesta segunda-feira, em uma emboscada nas proximidades da cidade de Lauder, enquanto fontes militares elevaram a 12 os supostos terroristas mortos em diferentes ataques.

O grupo radical afirmou em comunicado que as baixas militares aconteceram quando o Exército iemenita e seus aliados tribais lançaram uma ofensiva esta manhã para recuperar uma região sob seu controle, embora o Ministério da Defesa não tenha informado sobre vítimas em suas fileiras.

Os combatentes da Ansar al Sharia permitiram o avanço das forças governamentais sem opor resistência, e quando chegaram a uma região descoberta, os integrantes da organização terrorista dispararam, segundo a nota.

Entre as vítimas estão o comandante que dirigiu a campanha militar e um dos líderes tribais que lutam ao lado das forças iemenitas.

A Anshar al Sharia também afirmou ter se apropriado de 20 rifles do tipo kalashnikov, e declarou que nenhum de seus militantes foi assassinado ou ferido durante a emboscada.


Por sua parte, o Ministério de Defesa iemenita informou em comunicado que recuperou a montanha de Yasuf, situada ao norte de Lauder e considerada como um das fortificações da Ansar al Sharia, que mantêm um cerco com o objetivo de controlá-la.

Uma fonte militar da região informou à Agência Efe que pelo menos oito terroristas foram abatidos pelas forças governamentais durante a operação militar em Yasuf.

Além disso, a fonte afirmou que outros quatro elementos radicais do grupo morreram nesta segunda-feira em um bombardeio aéreo do Exército iemenita contra um carro que transportava armas e munição para a organização terrorista.

As tropas, apoiadas por milicianos tribais, e os combatentes da organização radical enfrentam duros combates nos arredores de Zinyibar, e a estratégica cidade de Lauder, também situada em Abian, há semanas.

A instabilidade no Iêmen aumentou desde que explodiu há mais de um ano a revolta contra o regime de Ali Abdullah Saleh, cuja saída definitiva do poder aconteceu no final de fevereiro com a posse do então vice-presidente, Abdo Rabbo Mansour Hadi. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.