Obama usa viagem ao Alasca para impulsionar agenda climática

Com 16 meses faltando para deixar o cargo, Obama tenta buscar apoio para novas e duras normas sobre as emissões de carbono

Anchorage - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou na segunda-feira ao Estado do Alasca para uma visita de três dias destinada a mostrar como o derretimento do gelo no local e a erosão da orla costeira são um prenúncio do que está por vir, a menos que o mundo faça mais para combater as mudanças climáticas.

Com 16 meses faltando para deixar o cargo, Obama tenta buscar apoio para novas e duras normas sobre as emissões de carbono por parte das usinas de energia antes de um esperado acordo climático internacional durante uma cúpula da ONU sobre o clima, em Paris, em dezembro, que poderia cimentar seu legado sobre a questão.

"Nenhuma das nações representadas aqui está se movendo rápido o suficiente", disse Obama em reunião de ministros das Relações Exteriores de países com interesses no Ártico.

"Este ano, em Paris, tem que ser o ano em que o mundo finalmente chegue a um acordo para proteger o único planeta que temos enquanto ainda podemos", disse Obama.

A Casa Branca informou que Obama irá anunciar esta semana novas políticas para ajudar as comunidades do Ártico a se adaptarem às mudanças climáticas. Mas o principal objetivo de sua viagem é chamar a atenção para as ameaças que pesam sobre o Estado e assim convencer os norte-americanos a reduzir o uso de combustíveis fósseis e aumentar a produção de energia renovável.

A promoção da viagem começou no domingo, com o anúncio de que Obama iria renomear a montanha mais alta da América do Norte, que passará a chamar-se Denali, o nome nativo e tradicional no Alasca de um cume que os mapas e turistas atualmente chamam de Monte McKinley. Obama tirou uma foto do Denali a bordo do Air Force One e postou no Instagram, pouco antes da reunião com um grupo de líderes dos nativos do Alasca.

Nesta terça-feira e na quarta, Obama planeja deixar Anchorage para caminhadas numa enorme geleira em Seward, cujo tamanho está diminuindo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.