Com canonização, Madre Laura é a primeira santa colombiana

Milhares de fiéis compareceram nesse domingo (12) à Praça São Pedro, no Vaticano, para a cerimônia de canonização da madre Laura Montoya

Bogotá - Milhares de fiéis compareceram nesse domingo (12) à Praça São Pedro, no Vaticano, para a cerimônia de canonização da madre Laura Montoya, primeira santa da Colômbia.

No final da homília, o papa Francisco fez referências às negociações de paz entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo do país.

“Que, inspirados no exemplo de reconciliação dessa nova santa, os amados filhos da Colômbia continuem trabalhando pela paz e pelo justo desenvolvimento da pátria”, declarou o papa.

Natural de Antioquia, Noroeste do país, Laura Montoya nasceu em 1874 e morreu em 1949. Foi fundadora da Congregação das Irmãs Missionárias de Maria Imaculada e Santa Catalina de Siena.

De família pobre, ela passou a infância em um orfanato e se tornou professora depois de conseguir uma bolsa de estudos. Envolveu-se com a causa indígena ainda na juventude e, aos 40 anos, participou de uma missão em territórios pertencentes a índios.

Trabalhou em projetos educativos para comunidades marginalizadas, com especial atenção às mulheres e aos índios colombianos.

Foi declarada beata em 2004, pela intercessão em um milagre. Em dezembro do ano passado, teve o segundo milagre reconhecido pela Igreja Católica, completando assim os requisitos para ser considerada santa.

O papa também ressaltou a generosidade da religiosa. “A madre Laura nos ensina a ser generosos com Deus, a não viver a fé solitariamente – como se fosse possível viver a fé isoladamente – e sim a comunicá-la, a irradiar a alegria do Evangelho com a palavra e o testemunho de vida onde nos encontremos”, disse o pontífice.


Hoje (13) o presidente do país, Juan Manuel Santos, terá uma audiência com o papa. Santos, que compareceu à cerimônia de canonização ontem, disse em entrevista à televisão pública colombiana que conversou rapidamente com o papa durante a cerimônia. Segundo ele, Francisco disse que tem orado pela paz na Colômbia.

O processo de paz, em negociação entre o governo e as Farc, é um dos temas do encontro entre o papa e o presidente colombiano. Santos também escreveu em sua conta no Twitter que pretende reforçar o convite feito ao pontífice para visitar o país em julho, quando o papa Francisco irá ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude.

O convite já foi feito por meio de uma carta. Em sua conta no Twitter, o presidente anunciou que pretende reiterar o convite pessoalmente durante a reunião.

O processo de paz é um assunto importante da reunião. “Amanhã vamos nos encontrar e ele quer saber detalhes do que está acontecendo na Colômbia e como a Igreja pode ajudar”, explicou Santos.

O presidente também lembrou a biografia de madre Laura, como um exemplo de reconciliação. “Seu pai foi assassinado quando ela tinha 3 anos e sua mãe a ensinou a orar e perdoar” disse e completou: “Todas esses ensinamentos podem nos ajudar a alcançar a paz que tanto queremos”.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também