Mundo

Chinesa Cosco recebe aprovação para adquirir participação no Porto de Hamburgo, na Alemanha

Cosco obteve aprovação do governo alemão para adquirir uma participação de 24,9% em terminal de contêineres

Porto de Hamburgo (foto de arquivo): China é o maior parceiro comercial tanto da Alemanha quanto do Porto de Hamburgo (Westend61/Getty Images)

Porto de Hamburgo (foto de arquivo): China é o maior parceiro comercial tanto da Alemanha quanto do Porto de Hamburgo (Westend61/Getty Images)

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 11 de maio de 2023 às 17h21.

Última atualização em 11 de maio de 2023 às 17h24.

Gigante de transporte marítimo da China, o Grupo de Transporte Marítimo da China Ocean Shipping (COSCO, na sigla em inglês) finalmente obteve aprovação do governo alemão para adquirir uma participação de 24,9% em um terminal de contêineres pertencente à Hamburger Hafen und Logistik, no porto de Hamburgo. As informações foram divulgadas pelo Yicai Global.

A empresa alemã afirmou que recebeu a decisão com satisfação, já que ela permitirá que o terminal de Tollerort, no Porto de Hamburgo, seja expandido para se tornar o principal terminal da COSCO para o transporte de cargas entre a Ásia e a Europa.

Relação comercial China-Alemanha

A China é o maior parceiro comercial tanto da Alemanha quanto do Porto de Hamburgo, com cerca de 30% das cargas movimentadas no porto provenientes ou destinadas à China. A empresa alemã disse que concluirá a transação com a contraparte COSCO Shipping Ports em tempo hábil.

Um porta-voz do governo alemão disse que não haverá ajustes no acordo fechado pelas duas partes em outubro do ano passado, mesmo que o terminal tenha sido classificado como infraestrutura crítica, segundo informações da mídia local divulgadas em 10 de maio.

A COSCO Shipping Ports, subsidiária da chinesa COSCO Shipping, havia anunciado em setembro de 2021 planos para adquirir uma participação de 35% no terminal por 65 milhões de euros (US$ 71 milhões), mas houve resistência ao investimento por parte de algumas áreas do governo alemão.

Em outubro do ano passado, uma reunião do gabinete alemão deu aprovação para que a empresa chinesa assumisse uma participação reduzida de 24,9%, mas o acordo foi temporariamente colocado em dúvida quando o terminal foi listado como infraestrutura crítica, o que levou a uma revisão adicional do acordo.

O volume de negócios do Porto de Hamburgo atingiu 8,3 milhões de unidades equivalentes a vinte pés (TEUs) no ano passado, uma queda de 5,1% em relação a 2021 devido ao ambiente econômico internacional difícil, segundo seu relatório anual mais recente.

No ano passado, a China foi o maior parceiro comercial do porto, com 2,46 milhões de TEUs, seguida pelos Estados Unidos, com 605.000 TEUs, e Cingapura, com 423.000 TEUs.


Tradução: Mei Zhen Li
Fonte: China News

Acompanhe tudo sobre:ChinaPortosAlemanha

Mais de Mundo

Esquerda francesa enfrenta impasse para nomear primeiro-ministro; entenda

Brasil observa eleição na Venezuela com ‘preocupação e confiança’, diz Amorim

Eleições EUA: Doadores democratas reterão US$ 90 milhões enquanto Biden permanecer na disputa

Com ocupação de 99%, Reino Unido liberará milhares de detidos para abrir espaço nas prisões

Mais na Exame