China ordena confinamento de 1,7 milhão de pessoas por surto de covid

A província registrou 287 novas infecções na segunda-feira
Dois condados da província - Sixian e Lingbi - anunciaram o confinamento de mais de 1,7 milhão de pessoas (Qilai Shen/Getty Images)
Dois condados da província - Sixian e Lingbi - anunciaram o confinamento de mais de 1,7 milhão de pessoas (Qilai Shen/Getty Images)
A
AFPPublicado em 04/07/2022 às 08:21.

As autoridades chinesas ordenaram o confinamento de 1,7 milhão de pessoas na província de Anhui (leste), onde foram registrados 300 novos casos de covid-19 nesta segunda-feira.

A China é a última grande economia que mantém uma estratégia rígida contra o coronavírus, baseada em quarentenas e testes obrigatórios.

Leia também: França volta a recomendar uso de máscaras

O surto de Anhui, onde as autoridades detectaram centenas de casos na semana passada, acontece no momento em que a economia chinesa começa a se recuperar de um confinamento de meses em Xangai e de restrições severas na capital, Pequim.

Dois condados da província - Sixian e Lingbi - anunciaram o confinamento de mais de 1,7 milhão de pessoas, que só podem sair de casa para passar por exames.

Imagens do canal estatal CCTV mostraram as ruas vazias em Sixian no fim de semana e pessoas em filas para a sexta operação de testes em larga escala nos últimos dias.

A província registrou 287 novas infecções na segunda-feira, incluindo 258 pessoas assintomáticas, segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, o que eleva o total de casos detectados a pouco mais de 1.000.

A província vizinha de Jiangsu registrou 56 novos casos em quatro cidades nesta segunda-feira.

Embora os casos permaneçam reduzidos em relação à enorme população da China, as autoridades insistem que a política de "covid zero" é necessária para evitar uma calamidade nos serviços de saúde.

Veja também: 

Posso ter covid longa? Pesquisa revela quais grupos estão sujeitos à doença

Brasil registra 18,5 mil novos casos e 53 mortes por covid-19