Chefe de polícia do Japão pede demissão após assassinato de Abe

O ex-primeiro-ministro Shinzo Abe foi assassinado em 8 de julho durante um evento eleitoral
O chefe de polícia do Japão, Itaru Nakamura, anunciou o pedido de demissão (AFP/AFP Photo)
O chefe de polícia do Japão, Itaru Nakamura, anunciou o pedido de demissão (AFP/AFP Photo)
A
AFPPublicado em 25/08/2022 às 06:54.

O diretor da Agência Nacional de Polícia do Japão anunciou nesta quinta-feira, 25, sua renúncia ao cargo, após uma investigação sobre a segurança do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, assassinado em 8 de julho durante um evento eleitoral.

 Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

"Decidimos reorganizar equipe e começar de novo com nossas tarefas de segurança. Por isso apresentei minha demissão à Comissão Nacional de Segurança Pública hoje", disse Itaru Nakamura.Ele fez o anúncio durante uma entrevista coletiva que revelou as conclusões de uma comissão de inquérito sobre as falhas na segurança do ex-primeiro-ministro.

"Ao analisar e refletir sobre o incidente, decidimos começar de novo e renovar nosso sistema de segurança", acrescentou Nakamura.

Abe foi assassinado em 8 de julho durante um evento eleitoral na região de Nara.

O autor do crime foi detido no local e a polícia acredita que ele atacou Abe por acreditar que o político estava ligado à Igreja da Unificação.

Abe era o político mais famoso e o primeiro-ministro que permaneceu mais tempo no cargo no Japão, mas sua segurança era mínima quando ele discursava em uma rua de Nara.

A polícia da região admitiu falhas "inegáveis" na segurança do ex-chefe de Governo.

LEIA TAMBÉM:

Presidentes de Argentina, Bolívia, Colômbia e México apoiam Cristina Kirchner

Seca de rios na Europa revela navios naufragados, relíquias e bombas da 2ª Guerra

Paz entre Israel e Líbano? Acordo entre os dois países deve irrigar o mundo de petróleo