Mundo

Câmara de Representantes dos EUA retoma sessão para tentar eleger seu presidente

Apesar de seis votações desde terça-feira, McCarthy não conseguiu os 218 votos necessários para se tornar presidente da Câmara

Câmara dos representantes dos EUA (Divulgação/Casa Branca/Divulgação)

Câmara dos representantes dos EUA (Divulgação/Casa Branca/Divulgação)

A

AFP

Publicado em 5 de janeiro de 2023 às 13h26.

Última atualização em 5 de janeiro de 2023 às 13h31.

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos retoma a sessão nesta quinta-feira, 5, para eleger seu novo presidente, após dois dias de impasse, devido a disputas internas nas fileiras republicanas.

Os conservadores radicais rejeitaram Kevin McCarthy, apoiado pelo ex-presidente Donald Trump, por ser muito moderado, tornando a nomeação do chamado presidente da Câmara a primeira em um século a exigir várias rodadas de votação.

Apesar de seis votações desde terça-feira, McCarthy não conseguiu os 218 votos necessários para se tornar presidente da Câmara, o terceiro posto mais poderoso na política americana depois da presidência e vice-presidência do Executivo.

Sem um presidente (“speaker” em inglês), a Câmara dos Representantes, que iniciou uma nova legislatura após as eleições de meio de mandato em novembro, não pode empossar seus membros, decidir os integrantes das várias comissões, apresentar projetos de lei, ou abrir qualquer uma das investigações prometidas pelos republicanos do governo do democrata Joe Biden.

Os congressistas concordaram em retomar a sessão ao meio-dia (14h no horário de Brasília), dando tempo para mais negociações.

Cerca de 20 republicanos vetaram McCarthy, um congressista da Califórnia, deixando o partido até agora incapaz de capitalizar a pequena maioria que conquistou nas últimas eleições para o Congresso. McCarthy já aceitou muitas das demandas do grupo, mas a oposição à sua candidatura dentro de seu próprio partido parece apenas aumentar.

Biden chamou o fracasso dos republicanos em escolher um "speaker" de "embaraçoso para o país" e disse que o "resto do mundo" observa, de perto, esse processo.

"Vergonhosa derrota"

Os partidários de McCarthy estão ficando cada vez mais frustrados, especialmente porque nenhum concorrente surgiu. Dois partidários de McCarthy — o novo líder da maioria na Câmara, Steve Scalise, e Jim Jordan, um favorito de direita — parecem ser as alternativas mais viáveis.

McCarthy, que conseguiu arrecadar milhões de dólares para as campanhas de congressistas de direita, ajudou seu partido a recuperar o controle da Câmara após quatro anos de domínio democrata, ainda que seja uma apertada maioria de 222 contra 212.

A imprensa americana informou que as partes, aliados e críticos de McCarthy, estão conversando sobre a criação de um "grupo de negociação" para resolver suas diferenças.

McCarthy disse a jornalistas, porém, que planeja permanecer na corrida e conversou com seu principal apoiador, Trump. O ex-presidente pediu aos republicanos resistentes que não "transformem uma grande vitória em uma derrota gigantesca e vergonhosa".

LEIA TAMBÉM:

Acompanhe tudo sobre:EleiçõesEstados Unidos (EUA)

Mais de Mundo

Eleições nos EUA: Trump discursa na Convenção Republicana nesta quinta; assista ao vivo

Eleições EUA: Quem são e o que pensam os eleitores republicanos?

Trump terá força para pacificar o mundo e conter Rússia, diz 'pai' do Brexit à EXAME

Eleição nos EUA: Trump vai inflamar ou moderar o discurso na convenção republicana?

Mais na Exame