Califórnia rejeita legalização da maconha

Proposta 19 não foi aprovada por 57% dos eleitores, enquanto 43% foram favoráveis

Los Angeles - A proposta para a legalização do cultivo, comércio e consumo da maconha na Califórnia foi rejeitada na terça-feira em um referendo popular, realizado de forma conjunta com as eleições legislativas de meio mandato.

A Proposta 19, que teria transformado a Califórnia no primeiro lugar do mundo a legalizar a maconha, equiparando a droga ao cigarro e ao álcool, foi rejeitada por 57% votos contrários e 43% favoráveis, segundo as projeções divulgadas pela imprensa.

Os defensores da legalização da maconha argumentaram durante a campanha que esta seria uma forma eficaz de combater o tráfico de drogas e de criar uma inovadora forma de negócio, além de, sobretudo, uma grande fonte de arrecadação de impostos neste estado conhecido pelo bilionário déficit fiscal.

A eventual aprovação da lei havia sido criticada pelos presidentes da Colômbia e México, que temiam o impacto em seus países - produtores de maconha - e na política antidrogas de Washington em relação ao exterior.

A campanha a favor da legalização da maconha arrecadou mais de 4,2 milhões de dólares de doadores tão diversos como o investidor de origem húngara George Soros e dos co-fundadores da rede social Facebook, Dustin Moskovitz e Sean Parker.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.