Brexit: novo referendo precisaria de 12 meses de preparação, diz ministro

De acordo com Stephen Barclay, nova votação teria um efeito "assustador" para os mercados

Londres — A legislação necessária para um possível segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia precisaria de cerca de 12 meses de preparação, disse o ministro britânico para o Brexit, Stephen Barclay, nesta quarta-feira, 3.

Realizar um novo referendo teria um efeito “assustador” para os mercados, acrescentou Barclay a uma comissão parlamentar.

“Eu acredito que a legislação para um segundo referendo levaria cerca de 12 meses”, afirmou o ministro.

Renúncia na equipe de May

O parlamentar conservador Nigel Adams disse nesta quarta-feira que renunciará ao cargo de ministro do País de Gales após a premiê britânica, Theresa May, oferecer a possibilidade de negociações com o líder trabalhista de oposição, Jeremy Corbyn, para resolver o impasse do Brexit.

“Agora parece que você e seu governo decidiram que um acordo –preparado com um marxista que nunca em sua vida política colocou os interesses britânicos em primeiro lugar– é melhor do que a ausência de um acordo”, disse Adams.

Adams, que é ministro desde 2017 e também foi angariador de votos para o governo, disse em uma carta a May que se voltar a Corbyn em busca de ajuda é “um grave erro” e levaria o Reino Unido a uma união alfandegária com a União Europeia.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.