Mundo
Acompanhe:

Brasileiro tenta atirar em Cristina Kirchner e arma falha

Homem foi detido na última noite de quinta-feira, 1°, e momento foi registrado em vídeo; assista

Ataque contra Cristina Kirchner: momento foi registrado em vídeo; suspeito é brasileiro (Jornal La Clarín/Reprodução)

Ataque contra Cristina Kirchner: momento foi registrado em vídeo; suspeito é brasileiro (Jornal La Clarín/Reprodução)

L
Laura Pancini

2 de setembro de 2022, 13h25

Um brasileiro de 35 anos foi preso nesta quinta-feira, 1°, após tentar atirar contra a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

A arma teria falhado no momento do disparo e tudo foi registrado em vídeo. Informações divulgadas pelo argentino La Nacion indicam que trata-se de uma arma Bersa 380, de acordo com a Polícia Federal.

O ataque ocorreu em frente à casa de Kirchner, no bairro da Recoleta, em Buenos Aires. Ela estava conversando com apoiadores quando o homem entra no meio da multidão e aponta uma arma para a cabeça da vice-presidente, como mostram as imagens capturadas.

O ministro da Segurança Aníbal Fernandez afirmou que o homem foi detido imediatamente e a arma está em posse da polícia.

Quem é o brasileiro?

O homem foi identificado como Fernando Andres Sabag Montiel. Nascido em São Paulo, é filho de mãe argentina e pai chileno. Ele se mudou para o país vizinho aos 6 anos de idade e, atualmente, aos 35, é autorizado a trabalhar como motorista de aplicativo.

Montiel tem antecedentes penais: em março de 2021, foi processado por contravenção ou seja, porte de arma não convencional, em La Paternal, onde seria domiciliado.

De acordo com o argentino Clarín, na ocasião, o brasileiro foi preso com uma faca em sua posse e declarou que era para sua defesa pessoal, segundo fontes de segurança.

O homem está registrado para prestar "serviço de transporte automóvel urbano e suburbano não regular de passageiros gratuitos", categoria que corresponde à aplicação de condutores de automóveis. Também tem um carro Chevrolet Prisma registrado em seu nome, segundo registros comerciais.

LEIA TAMBÉM: Quem é o brasileiro que tentou atirar contra Cristina Kirchner?