• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

Brasil foi avisado sobre ação de Juan Guaidó dias antes, diz jornal

Brasil e Grupo de Lima souberam com antecedência sobre nova tentativa de Guaidó para derrubar Nicolás Maduro do poder
O opositor Juan Guaidó: autodeclarado presidente interino da Venezuela, Guaidó tenta derrubar Maduro do poder (Reuters/Carlos Garcia Rawlins)
O opositor Juan Guaidó: autodeclarado presidente interino da Venezuela, Guaidó tenta derrubar Maduro do poder (Reuters/Carlos Garcia Rawlins)
Por Da Redação, com agências internacionaisPublicado em 02/05/2019 11:23 | Última atualização em 02/05/2019 11:51Tempo de Leitura: 18 min de leitura

São Paulo – A tentativa de derrubada de Nicolás Maduro pelo autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, na última terça-feira, 30 de abril, era de conhecimento do governo brasileiro. De acordo com o jornal O Globo, Brasil, Espanha, Equador, Estados Unidos e os outros 13 países que fazem parte do Grupo de Lima, foram alertados sobre o tema no final da semana passada.

Segundo a publicação, que cita fontes envolvidas nas conversas diplomáticas em Brasília, a informação que esses países receberam foi a de que Guaidó reunia o apoio necessário dos militares da Venezuela, figuras-chave na permanência de Nicolás Maduro no poder. Mas isso não se confirmou durante a tentativa de desestabilização.

Crise na Venezuela

A crise na Venezuela não é novidade, mas ganhou um novo capítulo em 2019 quando Guaidó, que é presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, casa controlada pela oposição ao regime de Maduro, se autodeclarou presidente interino.

O objetivo do opositor, na época, era o de fazer frente à reeleição do chavista, reeleito para um mais termo na presidência após uma eleição contestada, e conduzir o país em uma nova eleição geral.

Desde então, Guaidó recebeu o apoio da maior parte da comunidade internacional, enquanto Maduro continuou contando com países como Rússia e China ao seu lado.

No início desta semana, o opositor deu mais um passo, talvez o seu mais ousado, na tentativa de derrubar Maduro do poder. Convocou a população às ruas e alegou ter conseguido o apoio do aparato militar do país.

Como resultado, protestos contra e a favor o governo de Maduro são registrados em Caracas, capital da Venezuela, e os lados tentam vencer a guerra de informação. Até agora, contudo, ninguém sabe quem é o real vencedor.

Tudo sobre a crise na Venezuela