Brasil, EUA e outros 19 países condenam prisão de manifestantes em Cuba

Na nota, o grupo exorta as autoridades locais a respeitarem "os direitos universais e a liberdade" da população, incluindo a livre circulação de informações
 (YAMIL LAGE/AFP)
(YAMIL LAGE/AFP)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 26/07/2021 às 12:30.

Última atualização em 26/07/2021 às 12:37.

Brasil, Estados Unidos e outros 19 países divulgaram comunicado conjunto nesta segunda-feira, 26, na qual condenam o governo de Cuba pela prisão em massa de manifestantes em protestos recentes contra a gestão do presidente cubano, Miguel Díaz-Canel.

Na nota, o grupo exorta as autoridades locais a respeitarem "os direitos universais e a liberdade" da população, incluindo a livre circulação de informações. A coalizão de nações lembra que em 11 julho, milhares de pessoas foram às ruas em "demonstrações pacíficas" para protestar contra a "deterioração de condições de vida e para demandar mudanças".

Os países pedem que o governo cubano respeite os direitos legais do povo e pare com a prisão de manifestantes. Também defendem a liberdade de imprensa e a restauração do irrestrito acesso à internet na ilha. "A comunidade internacional não vai ceder em seu apoio ao povo cubano e para todos aqueles que defendem para liberdades básicas que todos os povos merecem", ressaltam.

Além de Brasil e EUA, assinam a nota: Áustria, Colômbia, Croácia Chipre, República Checa, Equador, Estônia, Guatemala, Grécia, Honduras, Israel, Letônia, Lituânia, Kosovo, Montenegro, Macedônia do Norte, Polônia, Coreia do Sul e Ucrânia.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME