Boris Johnson diz à população para “não exagerar” com reabertura de bares

No Reino Unido, bares e restaurantes reabrem neste sábado, 4, com o fim do lockdown. Número de novos casos no país está abaixo de 1.500 diários

O Reino Unido flexibiliza sua quarentena a partir deste sábado, 4, com a permissão de reabertura de parte do comércio, como bares, restaurantes e salões de beleza. Mas o premiê britânico, Boris Johnson, pediu à população que tenha cautela com a retomada.

“O direcionamento está aí para manter todos seguros e controlar a disseminação do vírus, e é altamente recomendado que todos sigam os conselhos e garantam que não vão exagerar”, disse uma porta-voz do primeiro-ministro nesta semana, quando questionada sobre a reabertura.

O comentário da porta-voz de Johnson vem após declarações sobre a reabertura dos bares e as medidas de distanciamento terem ganhado as manchetes. O parlamentar Jacob Rees-Mogg, do Partido Conservador, o mesmo do premiê, disse que comprou um frasco de “torre” de cerveja para levar ao bar no sábado. Em tom de brincadeira, Mogg também recomendou usar o frasco, que chega a ter 1 metro de altura, para “medir o distanciamento social” entre uma pessoa e outra nos bares.

O parlamentar falou em resposta a um outro comentário, do perfil oficial do Tesouro britânico no Twitter, que havia publicado, antes, uma postagem dizendo para as pessoas celebrarem a reabertura dos bares. “Peguem um drink e brindem, os bares vão reabrir no dia 4 de julho”, escreveu a equipe do Tesouro em sua página.

O post foi criticado por sugerir celebração em meio ao número de mortos pelo coronavírus no Reino Unido e por não lembrar os britânicos de tomarem medidas corretas de distanciamento social na reabertura. “Nós erramos nisso e o tuíte foi rapidamente removido”, disse um porta-voz do Tesouro.

O fim do lockdown, o bloqueio total, significa que bares e restaurantes poderão abrir no Reino Unido pela primeira vez desde março.

Questionada sobre se o premiê Boris Johnson visitaria um bar ou restaurante no sábado, a porta-voz disse que “ele falou sobre seu entusiasmo por um corte de cabelo” mas que não saberia dizer o que o premiê faria no fim de semana ainda.

O Reino Unido tem tido uma diminuição no número de casos e óbitos diários, o que levou à possibilidade de reabertura. O país vem registrando nas últimas três semanas de junho menos de 200 mortes e menos de 1.500 novos casos por dia. Ainda assim, o país é visto como um dos lugares em pior situação na Europa, com o maior número de mortes no continente.

O território britânico ainda é o terceiro em número absoluto de mortes no mundo, com 44.080 óbitos registrados até esta sexta-feira, 3, atrás de Estados Unidos e Brasil. Em número absoluto de casos, é hoje o sexto país, com mais de 285.000 casos, atrás de Estados Unidos, Brasil, Rússia, Índia e Peru.

No Brasil, que também autorizou reabertura de bares e restaurantes em várias regiões, apesar do avanço de casos no país, aglomerações em bares foram relatadas ontem no Rio de Janeiro, após o primeiro dia dos estabelecimentos reabertos no estado.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE