Bill Gates volta ocupar o título de homem mais rico

Warren Buffett e Amancio Ortega seguem a lista dos poderosos do planeta

	Bill Gates: todas essas fortunas possuem juntas mais de 6,9 trilhões de dólares, mais que o Produto Interno Bruto do Japão, a terceira economia do mundo (AFP/Arquivos)
Bill Gates: todas essas fortunas possuem juntas mais de 6,9 trilhões de dólares, mais que o Produto Interno Bruto do Japão, a terceira economia do mundo (AFP/Arquivos)
Por Da RedaçãoPublicado em 25/02/2014 15:18 | Última atualização em 25/02/2014 15:18Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Pequim - O cofundador da Microsoft, Bill Gates, voltou a ocupar o título de homem mais rico do planeta, seguido do guru das finanças norte-americanas Warren Buffett e do fundador da Inditex, proprietária da Zara, Amancio Ortega, segundo uma lista de fortunas elaborada pela revista chinesa Hurun.

O magnata mexicano das telecomunicações, Carlos Slim, caiu da primeira posição para a quarta, segundo a lista divulgada nesta terça-feira que inclui 1.867 fortunas superiores a um bilhão de dólares.

Todas essas fortunas possuem juntas mais de 6,9 trilhões de dólares, mais que o Produto Interno Bruto do Japão, a terceira economia do mundo.

Os Estados Unidos lideram a lista de multimilionários com 481, seguido da China com 358.

A Ásia em sua totalidade soma 824 multimilionários. Apenas no ano passado foram incorporados 216 novos membros a este seleto clube desta região, um pouco mais da metade dos 414 novos 'sócios'.

Bill Gates, o cofundador da Microsoft, voltou ao número um da lista dos riquíssimos ao ver sua fortuna aumentar em 26%, a 68 bilhões de dólares, no dia 17 de janeiro.

Com 64 e 62 bilhões de dólares cada um, Warren Buffett e o espanhol Amancio Ortega estão na segunda e terceira posição da lista de Hurun, que rivaliza com a elaborada pela norte-americana Forbes.

A inclusão na lista da Hurun, contudo, pode ser uma faca de dois gumes para os riquíssimos chineses, já que são submetidos a um intenso escrutínio público e privado, assim como a suas companhias.

Alguns foram objeto de investigações ou presos, entre eles Huang Guangyu, que foi declarado o homem mais rico da China em três ocasiões, a última em 2008.

Huang foi condenado a 14 anos de prisão em 2010 por negócios ilegais, informação privilegiada e subornos.