Biden ordena mais 3 mil soldados à Polônia em meio à tensão na Ucrânia

Além das tropas americanas enviadas para a Polônia, cerca de mil soldados americanos baseados na Alemanha estão se mudando para a Romênia
 (Anatolii STEPANOV/AFP)
(Anatolii STEPANOV/AFP)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 11/02/2022 18:12 | Última atualização em 11/02/2022 18:33Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Pentágono vai enviar mais 3 mil soldados de combate à Polônia para se juntar aos 1,7 mil que já estão reunidos lá. A medida é uma demonstração do compromisso americano com os aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que estão preocupados com a perspectiva da Rússia invadir a Ucrânia, disse um alto funcionário da Defesa nesta sexta-feira, 11.

A autoridade, que forneceu a informação sob condição de anonimato antes de um anúncio oficial, disse que os soldados adicionais deixarão seu posto em Fort Bragg, na Carolina do Norte, nos próximos dias e devem estar na Polônia no início da próxima semana. Eles são os elementos restantes de uma brigada de infantaria da 82ª Divisão Aerotransportada.

Quer saber tudo sobre a política internacional? Assine a EXAME e fique por dentro.

O anúncio veio logo depois que Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional do presidente Joe Biden, emitiu um alerta público para que todos os cidadãos americanos na Ucrânia deixassem o país o mais rápido possível. Sullivan disse que o presidente russo, Vladimir Putin, pode dar a ordem para iniciar uma invasão da Ucrânia a qualquer momento.

Além das tropas americanas enviadas para a Polônia, cerca de mil soldados americanos baseados na Alemanha estão se mudando para a Romênia em uma missão semelhante para tranquilizar um aliado da Otan.