Mundo

Biden reconhece falhas em debate e diz que vai se recuperar

Ao lado da primeira-dama Jill Biden, o democrata tenta afastar temores sobre capacidade para continuar na corrida pela Casa Branca

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Mandel Ngan/AFP)

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos (Mandel Ngan/AFP)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 28 de junho de 2024 às 14h44.

Última atualização em 28 de junho de 2024 às 17h02.

Tudo sobreEleições EUA 2024
Saiba mais

Em discurso de campanha no dia seguinte ao debate na TV, o presidente dos EUA, Joe Biden, reconheceu suas limitações, mas mostrou que pretende continuar na disputa.

"Eu sei que não sou um jovem, para dizer o óbvio. Eu não ando com a facilidade que tinha. Eu não falo com a suavidade que falava. Eu não debato tão bem como costumava, mas eu sei o que sei, e sei como dizer a verdade", discursou, durante um comício em Raleigh, na Carolina do Norte, na tarde de sexta, 28.

"Eu sei o certo e o errado. Eu sei o que fazer neste trabalho, como terminar as coisas. Eu sei, como milhões de americanos, que quando você é derrubado, precisa se levantar", prosseguiu.

"Eu dou minha palavra como um Biden. Eu não estaria concorrendo de novo se eu não acreditasse com toda a alma e coração que eu posso fazer este trabalho. Porque, muito francamente, os níveis são muito altos."

Biden deixou o palco ao som de "I Won't Back Down", de Tom Petty.

Ele ainda estava com uma tosse, mas falou de forma mais enérgica do que no debate de quinta-feira, 27.  No discurso, também houve espaço para ataques a Donald Trump.

"Vamos fornecer água potável, internet de alta velocidade a preços acessíveis e educação de qualidade para todas as crianças da América. Vamos garantir a segurança da nossa fronteira e proteger a imigração legal. Ao contrário do outro, vamos enfrentar ditadores como [Vladimir] Putin porque a América não se curva a ninguém, a ninguém, a ninguém nunca.

As críticas a Trump foram ficando mais duras. Ele disse que o rival é uma "onda de crimes de um homem só", em referência aos inúmeros problemas legais que Trump enfrenta na Justiça. Esse comentário de Biden levou a multidão de apoiadores democratas a gritar "prendam-no!", ecoando os mesmos gritos que se popularizaram nos comícios de Trump em 2016, quando ele atacava sua oponente, a democrata Hillary Clinton, por supostas violações da lei.

yt thumbnail

As falhas de Biden no debate

Na noite de quinta, 27, Biden e Trump fizeram o primeiro debate das eleições 2024. Desde o início, o democrata apresentou uma postura que gerou preocupação em seus apoiadores.

Biden começou sua primeira resposta falando em velocidade muito rápida, como se tivesse decorado um texto e temesse estourar o tempo, de dois minutos. Para complicar, ainda tossiu e sua voz estava rouca e baixa.

Para complicar, Biden fez expressões de cansaço enquanto Trump falava. A transmissão deixava os dois candidatos na tela na maior parte do tempo. Biden também olhava muito para baixo, para o lado e parecia estar surpreso ou assustado enquanto o rival se pronunciava.

A performance de Biden foi alvo de críticas, e cresceu a pressão para que ele desista da disputa, apesar de ter assegurado número suficiente de delegados do partido para obter a nomeação. Sua confirmação será feita até as convenções do partido, que começam em 19 de agosto.

Com Agência O Globo.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Joe BidenDonald TrumpEleições EUA 2024

Mais de Mundo

Venezuela: a sete dias da eleição, pesquisas divergem sobre resultado

Serviço Secreto admite que rejeitou pedidos de Trump por mais agentes nos últimos dois anos

Paris 2024 descarta o uso de máscaras contra a covid-19, por enquanto

Com Itália envelhecida, projeto quer facilitar ida de imigrantes para trabalhar no país; entenda

Mais na Exame