Banco do Japão emprestará 8,2 bi de euros para zonas devastadas

Mesmo com a ajuda, economia do país seguirá pressionada para baixo, com recuperação "moderada"

Tóquio - O Banco do Japão (BOJ, o banco central do país) decidiu nesta quinta-feira manter as taxas de juros virtualmente em zero e aprovou um programa de empréstimos de 1 trilhão de ienes (8,2 bilhões de euros) para as entidades da região devastada pelo terremoto de 11 de março.

Ao fim de seu encontro de dois dias em Tóquio, a entidade indicou que a economia japonesa "previsivelmente seguirá pressionada para baixo" pelos efeitos do terremoto e do tsunami, especialmente no que se refere à produção.

Embora acredite que a economia do país retornará a um ritmo de "recuperação moderada", sustentada pelo aumento das exportações devido à melhora das condições econômicas em outros países, o BOJ admitiu o "alto nível de incerteza" com relação aos efeitos do terremoto na terceira maior economia do mundo.

Como era esperado, o comitê monetário do BOJ decidiu nesta quinta-feira, por unanimidade, manter as taxas de juros virtualmente em zero, entre 0% e 0,1%, a fim de estimular a economia.

O BOJ aprovou ainda um novo programa de empréstimos de até 1 trilhão de ienes (8,2 bilhões de euros) para as entidades financeiras da região de Tohoku, atingida pelo terremoto e o posterior tsunami.

O objetivo é fazer com que os bancos das províncias de Miyagi, Fukushima e Iwate ofereçam empréstimos às companhias locais, sobretudo às pequenas empresas que agora enfrentam dificuldades para ter acesso a linhas de crédito.

Os empréstimos terão taxas de juros de 0,1%, com duração de um ano, segundo explicou o BOJ em comunicado.

"O BOJ continuará examinando, cuidadosamente, a previsão da atividade econômica e os preços, incluindo os possíveis efeitos do desastre, e tomará as medidas necessárias", indicou a instituição japonesa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.