Austrália não registra morte por coronavírus pela 1ª vez em dois meses

A quarentena em Melbourne foi flexibilizada após a diminuição no número de casos de coronavírus

A Austrália não registrou nenhuma morte por coronavírus pela primeira vez em dois meses nesta terça-feira (15), depois que desaceleração dos novos casos permitiu aliviar o confinamento na cidade de Melboune, a segunda maior cidade do país. 

Apenas 50 novos casos foram registrados no país, muito abaixo dos mais de 700 que eram anunciados a cada 24 horas entre o fim de julho e início de agosto. Pela primeira vez desde 13 de julho a Austrália não registrou mortes provocadas pela covid-19 em um dia.

Na segunda-feira, o governo flexibilizou o confinamento de Melbourne. Agora os moradores da cidade podem passar mais uma hora ao ar livre praticando exercícios e estão autorizados a visitar amigos que vivem sozinhos.

No estado de Victoria, os moradores poderão sair de suas residências e os estabelecimentos comerciais retomarão as atividades a partir de meia-noite de quarta-feira, após a redução de casos nas zonas rurais.

“É algo enorme, algo muito positivo”, disse o primeiro-ministro de Victoria, Daniel Andrews.

Os moradores de Melbourne ainda enfrentam restrições: os comércios não essenciais permanecem fechados e o toque de recolher noturno permanecerá em vigor até 26 de outubro.

Quase 75% dos 27.000 casos registrados na Austrália e 90% das 816 mortes por coronavírus aconteceram no estado de Victoria.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.