Ataques de dissidências das FARC deixam um policial morto e cinco feridos

Os ataques acontecerem nesta terça, poucas horas antes de o presidente eleito, Iván Duque, assumir o cargo
De acordo com o governador do departamento do Cauca, responsabilizou as Farc pelos ataques (John Vizcaino/Reuters)
De acordo com o governador do departamento do Cauca, responsabilizou as Farc pelos ataques (John Vizcaino/Reuters)
E
EFEPublicado em 07/08/2018 às 11:46.

Bogotá - Três ataques das dissidências das Farc no departamento colombiano de Cauca, no sudoeste do país, deixaram um policial morto e cinco feridos poucas horas antes de o presidente eleito, Iván Duque, tomar posse do cargo, informaram nesta terça-feira as autoridades.

No município de Padilla, o saldo foi de um uniformizado morto e três feridos depois da explosão de uma motocicleta que foi carregada com explosivos.

"Por volta das 9h40 da noite (23h40,em Brasília) de segunda-feira explodiu uma motocicleta que estava estacionada perto da estação de polícia. O povo está consternado porque aqui estas coisas nunca aconteceram. A comunidade foi para o hospital para verificar o estado de saúde dos uniformizados", indicou a jornalistas o prefeito, Víctor Hugo Vidal.

O policial morto foi identificado como Edier Burbano, comandante da delegacia de Padilla.

O reporte oficial indica que Burbano e os três feridos encontraram uma motocicleta abandonada a trás da delegacia e quando foram movimentá-la, a mesma explodiu.

Em um segundo fato, encapuzados lançaram artefatos explosivos contra a delegacia do município de Suárez, deixando uma ferido.

No mesmo momento ocorreu outro atentado no município de Santander de Quilichao, onde também explodiu uma motocicleta.

O fato ocorreu quando transitava pelo local uma patrulha da polícia, cujos ocupantes saíram ilesos.

Ambos os fatos, explicou o governador do departamento do Cauca, Óscar Rodrigo Campo, "aparentemente foram obra da dissidência das Farc, a serviço do narcotráfico, segundo o diálogo que tivemos com Exército e a polícia".