'Atacaremos quem ameaçar nos atacar', diz premiê de Israel

O chefe do governo falou ainda que Israel enfrenta hoje quatro ameaças: ''um Irã nuclear, foguetes, a guerra cibernética e as fronteiras''

Jerusalém - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta terça-feira que Israel ''atacará quem o ameaçar'', em uma entrevista coletiva dada em função do início de seu quarto ano de governo.

''Atacaremos quem ameaçar nos atacar'', disse Netanyahu. O chefe do governo falou ainda que Israel enfrenta hoje quatro ameaças: ''um Irã nuclear, foguetes, a guerra cibernética e as fronteiras''.

De acordo com os sites dos jornais ''Ha''aretz'' e ''Yedioth Ahronoth'', o pronunciamento do premiê fez alusão não só ao Irã, mas também aos grupos armados em Gaza.

Na revisão dos seus primeiros três anos de governo, o primeiro-ministro deu destaque aos aspectos econômicos de sua gestão. De acordo com a apresentação, nesse período o governo ''realizou uma série de reformas e grandes mudanças estruturais que ajudaram a economia a crescer, reduziram as disparidades sociais e contribuíram para que Israel superasse a dura crise de 2008 e 2009''.

O escritório do primeiro-ministro também produziu um vídeo citando a redução do desemprego para cerca de 5,5%, a melhoria na classificação de risco de Israel pelas agências internacionais e as medidas introduzidas para impedir altas na gasolina e eletricidade.

As reformas sociais iniciadas também foram enfatizadas. No ano passado, uma série de manifestações populares levou à redução de impostos às famílias trabalhadoras com filhos, como forma de fortalecer a classe média. ''Após três anos, posso dizer que esta árvore (Israel) é notavelmente forte e está crescendo para dar frutos'', insistiu.

O evento realizado pelo premiê pode ser interpretado como o começo da campanha para as próximas eleições, previstas para antes de fevereiro de 2013, quando ele conclui seu mandato.

Na semana passada o primeiro-ministro disse não ter intenção de pedir a antecipação das eleições. As últimas enquetes realizadas no país garantem a Netanyahu um segundo mandato com uma coalizão parecida com a atual, que une os partidos ultra-ortodoxos e da direita mais nacionalista. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também