Assassino de Toulouse pode ter filmado sua ação

Ministro do Interior francês diz que autor do massacre levava uma câmera pendurada no pescoço

Paris - O ministro do Interior francês, Claude Guéant, indicou nesta terça-feira que uma das testemunhas dos quatro assassinatos em uma escola judaica ontem em Toulouse viu que o assassino levava uma câmera pendurada no pescoço e que 'muito provavelmente' gravou o massacre.

Em entrevista à emissora de rádio Europe 1, Guéant contou que o assassino tinha uma câmera pendurada no pescoço e ajustada no peito: 'não sei se filmava tudo, mas o viram com esse aparelho'.

'Isso tende a confirmar o perfil psicológico do assassino' como alguém 'muito frio e muito cruel', disse o ministro, depois de informar que o mesmo ainda não foi identificado.

Guéant indicou que tanto o massacre da escola como o assassinato de três militares, dois em Montauban no dia 15 e um em Toulouse no dia 11, foi obra de um só homem, embora possa haver uma rede de apoio por trás.

Perguntado se sabe mais do que diz, o titular de Interior respondeu: 'Não posso apresentar indícios que poderiam pôr em risco a investigação'.

Já o chanceler francês, Alain Juppé, ressaltou hoje em entrevista à rede de televisão 'France 2' que seu Governo usará 'todos os meios possíveis e imagináveis' para encontrar o homem que ontem matou três crianças e um adulto na escola judaica Ozar Hatorah, em Toulouse, no sul da França.

'O encontraremos, o levaremos à Justiça, e ele será castigado', assegurou Juppé, que ressaltou que 'a investigação está em andamento', mas não quis dar 'pistas prematuras'.

Segundo o diário 'Libération', os investigadores trabalham com duas hipóteses quanto ao perfil do assassino: a primeira é que ele possa ser um militar de extrema direita ou membro de uma organização neonazista; e a segunda é que se trate de um ativista vinculado ao fundamentalismo islâmico.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, decidiu ontem elevar ao máximo nível o plano antiterrorista na região de Toulouse, onde duas centenas de investigadores se dedicam à busca e captura do que alguns chamam 'o assassino da moto'.

Foi aumentada a vigilância nas escolas judaicas e muçulmanas, nos centros de culto e estabelecimentos vinculados a essas duas religiões e também em instalações militares, estações, no aeroporto de Toulouse e no metrô da cidade.


Várias dezenas de destacamentos das forças antidistúrbio, o que representa cerca de 1,5 mil agentes, se transferiram à região de Toulouse ou devem chegar para participar das operações.

Sarkozy participará na manhã desta terça-feira, em uma escola de Paris, da cerimônia que prestará um minuto de silêncio em homenagem às vítimas, o que ocorrerá em todos os centros escolares franceses às 11h locais (7h de Brasília).

Pouco após o meio-dia, o chefe do Estado receberá no Palácio do Eliseu os máximos representantes judeus e muçulmanos da França.

Os corpos dos quatro mortos de ontem, um professor-rabino da escola com seus dois filhos e a filha do diretor do centro, todos eles com dupla nacionalidade francesa e israelense, deverão ser repatriados a Israel para ser enterrados em Jerusalém, confirmou hoje na emissora 'France Info' o grande rabino da França, Gilles Bernheim.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.