As imagens deste urso polar estão emocionando o mundo

Vídeo registrado em julho mostra a dramática luta pela sobrevivência desse animal que é um dos maiores predadores da natureza

São Paulo – Um vídeo divulgado no início do mês por um grupo conservacionista está emocionando o planeta. Ele mostra um urso polar adulto, esquálido e com sinais de fome, lutando para se locomover em busca de comida. Quando finalmente encontra algo em um latão enferrujado, morde o que seria um velho assento de uma moto de neve.

As imagens são chocantes e foram registradas em julho pelo fotógrafo Paul Nicklen para a organização não governamental SeaLegacy. O animal fora encontrado durante uma expedição na Ilha Somerset, território canadense de Nunavut, para a produção de um documentário sobre mudanças climáticas.

Veja o vídeo abaixo:

“Quando ele se levantou, percebemos que ele deveria estar em um estado avançado de fome. Foi muito chocante”, disse Christine Mittermeier, fundadora da ONG, ao programa de TV canadense “As It Happens”. Embora note que não seja possível estabelecer o que houve com o animal, Christine disse suspeitar que sua condição pode ter ligações com as mudanças climáticas. “Toda a equipe foi às lágrimas”, continuou.

We did not want to get too close to him. I did not want him using his last ounce of energy in trying to avoid us. It took him a long time and a lot of effort to be able to stand up only to collapse again. We let him be. It was one of the hardest decisions I have faced in a long time. I want the images to be able to tell his story. I want to be able to tell the story of his species. He was once a huge male polar bear and now he is a bag of bones, reduced to skin hanging loosely off of his once massive frame. He will be dead soon and I want him to go in peace after living a life as a great polar nomad. We cannot prove that he is in this condition because of a lack of sea ice but is it a glimpse into the future as ice reaches its lowest extent in recorded history? I hear a lot of suggestions from people like “let’s take polar bears to Antarctica so they can eat penguins” or “let’s put out styrofoam platforms so they can be on the ocean”. These suggestions are irrational but it does mean that people do care. The only way polar bears can be saved is by reducing our global carbon footprint and finding renewable energy. It breaks my heart to see this but our team at @sea_legacy is shifting into high gear to continue connecting the world to our ailing marine ecosystems. #MPA #keepoilexplorationoutofthearctic #climatechangeisreal #bethechange #riseup #hedoesnotspeakforme #love #beauty #hungry

Uma publicação compartilhada por Paul Nicklen (@paulnicklen) em

 

A suspeita de Christine não vem sem fundamento, ainda mais quando se lembra que os ursos polares usam os blocos de gelo flutuantes como plataformas para caçar morsas e focas, animais que compõem majoritariamente a sua dieta. E é aí que as mudanças climáticas impactam com força esses animais: estima-se que, em razão delas, a maior parte da população de ursos polares se extinguirá em até 40 anos.

Isso porque os ursos passam meses sem se alimentar, confiando sua condição física durante a hibernação às reservas acumuladas em outros meses do ano. Com o aquecimento da região do Ártico, que causa a demora na formação de gelo, bem como a rapidez do seu derretimento, eles estão demorando mais para conseguir voltar a caçar e não o fazem pelo tempo adequado.

Vale notar, no entanto, que, apesar da aparente relação entre mudanças climáticas e a condição do animal filmado, há quem diga que esses animais podem ser idosos ou doentes. É o que afirmou um especialista da Universidade de Alberta (Canadá) em 2015, quando outra imagem que mostrava um urso polar na mesma situação daquele registrado pela SeaLegacy chamou a atenção do mundo.

Polêmica

Embora tenha comovido o mundo, o vídeo causou polêmica nas redes sociais depois de usuários questionarem a posição da equipe de não interferir na situação. Em resposta, Christine disse que a equipe não estava preparada para lidar diretamente com um animal desse porte. Além de não terem comida suficiente para alimentá-lo, seria ilegal fornecer alimento a ele naquela situação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também