Após reunião, Biden diz que Otan ficará mais forte com Suécia e Finlândia

O presidente dos Estados Unidos afirmou que a Otan "nunca foi tão necessária quanto agora"
 (Getty Images/Chip Somodevilla)
(Getty Images/Chip Somodevilla)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 19/05/2022 13:01 | Última atualização em 19/05/2022 13:06Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os Estados Unidos consideram que a Suécia e a Finlândia cumprem todos os requisitos necessários para se tornarem membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), e sua adesão tornará a aliança militar mais forte, segundo afirmou o presidente americano Joe Biden.

Em coletiva de imprensa ao lado da primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, e do presidente finlandês, Sauli Niinistö, Biden reforçou o apoio à entrada dos dois países do Norte Europeu e disse que a Otan nunca foi tão "necessária" quanto agora, em meio à invasão russa à Ucrânia.

"Em anos recentes, dúvidas sobre relevância e eficiência da Otan começaram a surgir. Hoje não há mais duvidas", resumiu o presidente americano. Em discurso após os comentários de Biden, Niinistö disse esperar uma aprovação rápida da adesão finlandesa por parte dos membros da Otan.

Turquia não aprovará entrada da Suécia e Finlândia na Otan, diz Erdogan

Atualmente, apenas a Turquia expressa oposição à expansão da aliança. O presidente turco Recep Tayip Erdogan reforçou a posição do seu governo, que alega que Finlândia e Suécia apoiam militantes curdos na Turquia

"Nos comprometeremos com a segurança da Turquia tanto quanto eles se comprometerão com a nossa segurança" enquanto aliados da Otan, disse Niinistö.

Rússia diz que candidaturas de Suécia e Finlândia à Otan são 'grave erro'