Mundo
Acompanhe:

Anonymous anuncia ataque ao Ministério da Defesa da França

O grupo de hackers reivindicou um ataque virtual contra o Ministério francês da Defesa, alegando querer vingar um manifestante ambientalista falecido


	Anonymous: "o portal ficou instável todo o dia", admitiu o Ministério
 (Jean-Philippe Ksiazek/AFP)

Anonymous: "o portal ficou instável todo o dia", admitiu o Ministério (Jean-Philippe Ksiazek/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 6 de janeiro de 2015, 20h42.

Paris - O grupo de hackers Anonymous reivindicou um ataque virtual contra o Ministério francês da Defesa nesta terça-feira, alegando querer "vingar" um manifestante ambientalista falecido em outubro durante a repressão a um protesto.

"O portal ficou instável todo o dia", admitiu o Ministério, garantindo, porém, que o site "não foi pirateado" e que "sua integridade não foi ameaçada".

O Ministério disse estar investigando "para determinar se foi, efetivamente, um ataque e a partir de quais endereços IP [protocolo de internet] foram enviados os pedidos que saturaram o servidor".

Em uma nota divulgada on-line, o Anonymous explicou que o ataque era para "vingar" a morte de Rémi Fraisse por parte da polícia francesa.

O ambientalista Rémi Fraisse, de 21 anos, foi vítima da deflagração de uma granada ofensiva lançada pelos gendarmes durante uma manifestação no lugar onde será construída a polêmica represa de Sivens (sul da França).

Após a morte de Fraisse, vários protestos foram organizados em diferentes cidades. Alguns desses atos terminaram em confrontos entre policiais e manifestantes.

A morte de Fraisse foi a primeira registrada na França na repressão a uma manifestação desde 1986. O episódio colocou o governo socialista em uma difícil posição, já confrontado com inúmeras críticas, incluindo nas próprias fileiras partidárias.