Mundo

Alckmin espera acordo para evitar desabastecimento

O governador manifestou preocupação com a possibilidade de desabastecimento de combustíveis e de outros produtos em razão do bloqueio

Alckmin não entrou no mérito das medidas adotadas pela Prefeitura da capital (Sérgio Andrade/Governo de SP)

Alckmin não entrou no mérito das medidas adotadas pela Prefeitura da capital (Sérgio Andrade/Governo de SP)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de março de 2012 às 17h36.

São Paulo - O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje, em Sorocaba, que espera uma solução rápida para o bloqueio promovido pelas empresas de transporte em represália à restrição ao tráfico de caminhões na capital.

Desde ontem, caminhões que circulam pela Marginal Tietê em horários considerados de pico estão sendo multados. Empresas e sindicatos dos transportadores decidiram boicotar a medida paralisando o envio de combustível e outras cargas para a capital.

O governador manifestou preocupação com a possibilidade de desabastecimento de combustíveis e de outros produtos em razão do bloqueio, mas alegou que o prefeito Gilberto Kassab (PSD) está conversando com os envolvidos.

Alckmin não entrou no mérito das medidas adotadas pela Prefeitura da capital, dizendo apenas que era uma questão da administração municipal. Por enquanto, segundo deixou claro, o Estado não deve intervir na questão. "O importante é que as conversas estão acontecendo e isso deve ser resolvido ainda hoje", afirmou.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasCombustíveisGasolinaGeraldo AlckminGovernadoresMetrópoles globaisPetróleoPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirossao-paulo

Mais de Mundo

Candidato opositor venezuelano lamenta decisão do TSE de suspender missão à Venezuela

Diretor do FBI questiona se Trump foi atingido por bala ou estilhaço

Eleições nos EUA: Trump está à frente de Kamala em 4 estados decisivos, diz pesquisa

Nuvens de fumaça tomam conta de ruas em Londres após incêndio próximo à Catedral de São Paulo

Mais na Exame