Abrem colégios eleitorais no norte do Chipre para eleições

A República Turca do Norte do Chipre realiza eleições presidenciais com a atenção nas negociações de paz entre as comunidades grega e turco-cipriota

	Chipre: a República Turca do Norte do Chipre não é um estado reconhecido pela ONU
 (REUTERS/Yorgos Karahalis)
Chipre: a República Turca do Norte do Chipre não é um estado reconhecido pela ONU (REUTERS/Yorgos Karahalis)
Por Da RedaçãoPublicado em 19/04/2015 10:13 | Última atualização em 19/04/2015 10:13Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nicósia .- A República Turca do Norte do Chipre (RTNC), estado não reconhecido pela ONU, realiza neste domingo eleições presidenciais com a atenção nas negociações de paz entre as comunidades grega e turco-cipriota, que serão retomadas após o fim deste processo eleitoral.

Os colégios eleitorais abriram às 8h (horário local, 2h em Brasília) na capital, Nicósia, Famagusta, Kyrenia, Morfou e Trikomo, para que os 176.912 turco-cipriotas convocados às urnas possam exercer seu direito e escolher, entre os sete candidatos, seu novo líder por um período de cinco anos.

As 693 urnas distribuídas nos cinco colégios eleitorais, onde trabalham cercam de 4.000 pessoas, permanecerão abertas até as 18h (12h em Brasília).

No caso de nenhum dos candidatos atingir hoje mais de 50% dos votos, o que, segundo as pesquisas, é o cenário mais provável, os turco-cipriotas serão chamados a votar de novo em um segundo turno no dia 26.

Já que a ONU não reconhece a RTNC, o presidente eleito atua como o líder da comunidade turco-cipriota e tem o papel de negociador no diálogo para a reunificação do Chipre, que continua dividido em duas regiões desde a invasão turca do norte da ilha em 1974.

Em 1983 a República Turca do Norte do Chipre foi autoproclamada, um estado só reconhecido pela Turquia.

Desde então fracassaram as tentativas para reunificar o país assim como um plano proposto pela ONU que foi rejeitado em plebiscito pelos greco-cipriotas, o que propiciou que só a parte sul da ilha, a República do Chipre cujo presidente é Nicos Anastasiades, entrasse para a União Europeia em 2004.