Veja se compensa converter o seu carro para GNV

Simulação mostra em quanto tempo é possível ter o retorno do investimento de instalação do gás conforme o número de quilômetros rodados por mês

São Paulo - Depois da greve dos caminhoneiros e a alta da gasolina, donos de carros passaram a olhar com mais atenção para a opção de converter o combustível do carro para o Gás Natural Veicular (GNV).

Oficinas que instalam o kit gás, como o Centro Reparador de Auto Clairgás, em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo, vêm registrando um aumento da demanda após a paralisação. O serviço geralmente é feito em um dia, mas precisa ser agendado com antecedência. Nas próximas duas semanas, a Clairgás não tem mais horários disponíveis para realizar a instalação.

Além de menos sujeito a eventuais problemas de abastecimento, já que chegam aos postos por meio de gasodutos, o GNV é, principalmente, uma alternativa mais barata ao óleo. Como é um derivado do petróleo, seu preço tende a oscilar proporcionalmente à gasolina, mas em um patamar bem mais baixo.

Segundo simulação feita pelo professor de finanças da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Fábio Gallo, a economia com combustível pode cair para menos da metade caso a opção seja pelo GNV ao invés da gasolina. Enquanto o álcool permite uma economia mensal de 8,39% em relação à gasolina, no GNV essa economia é equivalente a 56,5%.

Veja abaixo a economia mensal obtida com o GNV em relação a outros tipos de combustíveis:

Combustível Consumo Custo / KM Custo para rodar 1.000 km/mês
Gasolina 10 Km/litro R$0,4056 R$406,00
Etanol 7 Km/litro R$0,3719 R$371,97
GNV 13 km/m3 (autonomia de 195 km) R$0,1765 R$176,71

Compare a diferença de gastos entre os combustíveis

Tipos Economia por Km rodado
Gasolina/GNV R$ 0,2291
Etanol/GNV R$ 0,1954

*Preços de referência: Gasolina: R$ 4,056/litro. Etanol: R$ 2,603/litro. GNV: R$ 2,295/m3

A simulação tomou como premissa o preço médio da gasolina, etanol e GNV registrados na semana anterior à greve dos caminhoneiros, de 13 a 19 de maio. Os valores foram compilados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Investimento inicial pesa na escolha

Antes de se empolgar com a possibilidade de economizar, a principal ponderação a se fazer antes de optar por converter o carro para o GNV é o investimento inicial exigido, que pode chegar a 5 mil reais no caso de um kit de 5ª geração certificado pelo Inmetro, que provoca perda de apenas 3% da potência do veículo (nas geração anteriores, essa perda podia chegar a 30%).

Entram também na conta gastos com documentação, obrigatória em caso de modificação de características do carro, e vistorias anuais, um gasto de cerca de 98 reais por ano, além de inspeções no valor aproximado de 280 reais por ano. Esses valores são válidos para São Paulo, e foram consultado no Detran.

Ou seja, no total, o investimento no combustível pode atingir 5.378 reais. Esse valor apenas pode diminuir em São Paulo por conta do desconto de 1 ponto porcentual na alíquota do IPVA do veículo, mas que é válido somente para veículos movidos exclusivamente a álcool combinado com o GNV.

A conclusão é: quanto menos o proprietário do veículo rodar com o carro, mais esse desembolso vai demorar para ser compensado.

Para quem roda mil quilômetros com o carro por mês o investimento inicial pode ser compensado apenas depois de quase dois anos. Esse período pode diminuir um pouco caso o carro seja movido apenas a álcool, que combinado com o GNV ganha desconto de um ponto porcentual na alíquota do IPVA em São Paulo, passando de 4% para 3% do valor do carro.

Confira em quanto tempo o investimento inicial de conversão para o GNV é compensado em veículos movidos a gasolina ou flex e em veículos movidos apenas álcool, que recebem o desconto do IPVA:

Para quem roda 1.000 km/mês

Tipos Pelo custo cheio = R$5.378,98 Com desconto do IPVA = R$4.678,98
Gasolina / GNV 23,5 meses 20,4 meses
Etanol / GNV 27,5 meses 24,0 meses

Para quem roda 2.000 km/mês

Tipos Pelo custo cheio = R$5.378,98 Com desconto do IPVA = R$4.678,98
Gasolina / GNV 11,7 meses 10,2 meses
Etanol / GNV 13,8 meses 12,0 meses

Para quem roda 5.000 km/mês

Tipos Pelo custo cheio = R$5.378,98 Com desconto do IPVA = R$4.678,98
Gasolina / GNV 4,7 meses 4,0 meses
Etanol / GNV 5,5 meses 4,8 meses

**Desconto do IPVA calculado para um veículo que custe R$ 100 mil (Hyundai iX35)

O preço da instalação do GNV nas oficinas credenciadas pelo Inmetro em São Paulo é variável e depende do modelo do carro. Por conta disso, a simulação considerou o valor mais alto pago por um kit GNV de 5ª geração certificado pelo Inmetro e com capacidade para 15 m³: 5 mil reais.

No Centro Reparador de Autor Clairgás, a instalação do kit GNV 5ª geração, o mais moderno, custa 3,9 mil reais para um utilitário comum com porta mala padrão de 15 metros. Caso o motorista opte pelo kit mais antigo, de 3ª geração, o preço cai para 2,8 mil reais, mas a perda de potência é maior. O estabelecimento pede uma entrada e parcela o restante do valor em até quatro vezes.

A instalação do cilindro geralmente ocupa espaço no porta-malas. Apenas em alguns modelos de carro o equipamento do GNV pode ser instalado embaixo do veículo. Neste caso, a instalação é mais cara e pode chegar a 4,9 mil reais na oficina, já que exige peças reforçadas para suportar impactos causados pela topografia.

Conclusão

O professor de finanças, Fábio Gallo, conclui que a economia do GNV é sempre vantajosa, desde que o proprietário do veículo fique com o carro o tempo suficiente para ao menos compensar o investimento demandado pela conversão e manutenção do combustível. "No caso de quem é taxista, motorista de aplicativo e profissionais autônomos que circulam com o carro pela cidade a trabalho, a vantagem do combustível é indiscutível, já que o investimento no combustível é compensado em poucos meses".

O técnico eletrônico Ivan Aparecido de Araújo, 55 anos, está satisfeito com o combustível. Ele usa o GNV na picape com a qual faz manutenções pela cidade. "Gastava cerca de 600 reais de gasolina quando instalei o combustível, em 2003. O gasto rapidamente caiu para 200 reais", conta. "Paguei o valor da instalação em poucos meses de uso". Ivan ainda usa o GNV de 3ª geração e precisa controlar a velocidade do carro para que a economia compense.

Antes de optar pelo combustível, o proprietário do veículo deve pesar mais um ponto, cujo ônus financeiro é difícil de ser simulado. Converter o combustível para o GNV provoca necessariamente perda de garantia de fábrica por modificar as características originais do veículo, já que, atualmente, não há carros fabricados já com a conversão para o GNV. Ou seja, veículos zero-quilômetro ou seminovos podem sofrer uma desvalorização na hora da revenda e, caso o veículo registre falhas em seus componentes, o motorista pode ter de arcar com o prejuízo.

Por outro lado, se o veículo já perdeu a garantia, ter o kit instalado pode valorizar o carro na hora da venda, diz Gallo. "Contudo, há um público que não vai querer o carro por conta da perda de espaço do porta-malas ou porque não gostaria de usar o GNV".

Outra questão que deve influenciar na opção pelo combustível é a inconveniência de instalar os cilindros de gás no porta mala do carro. "Em carros compactos, eles podem ocupar todo o espaço", diz o professor de engenharia mecânica do Centro Universitário FEI, Silvio Shizuo. Ele aponta que o peso do cilindro é equivalente ao de outro passageiro no carro.

A oferta do gás, que não é tão grande como a de gasolina e etanol, pode ser outro inconveniente. "Apesar de a oferta do GNV ser maior na cidade, em geral já dá para viajar com GNV para locais mais próximos. Mas o motorista não vai encontrar a mesma oferta da gasolina", diz o professor da FEI.

Alguns consumidores podem ainda questionar a segurança do combustível. Mas, segundo o Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), os cilindros ficam localizados em pontos geralmente afastados das extremidades, e são muito resistentes. "Tratando de combustível, as chances de incêndio ou explosão podem existir como em qualquer outro tipo de combustível em caso de vazamento ocasionado em um impacto de grandes proporções".

Por segurança, o Cesvi recomenda a manutenção de todo o conjunto ( kit e veículo) conforme descrição dos fabricantes, e aconselha ao motorista nunca fazer adaptações no sistema. Também é recomendável verificar se o posto de combustível é certificado pela ANP para trabalhar com GNV.

 

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.