• BVSP 118.701,80 +0,9%
  • USD 5,6971 +0,0163
  • EUR 6,7879 +0,0263
  • ABEV3 15,54 +1,17%
  • BBAS3 29,36 +0,58%
  • BBDC4 25,43 +0,91%
  • BRFS3 24,49 +2,04%
  • BRKM3 46,32 +6,80%
  • BRML3 9,9 -0,40%
  • BTOW3 63,36 +1,15%
  • CSAN3 89,93 +0,83%
  • ELET3 34,89 -1,58%
  • EMBR3 15,9 -0,38%
  • Petróleo 63,33 +0,60%
  • Ouro 1.731,30 -0,77%
  • Prata 24,84 -1,92%
  • Platina 1.175,50 -2,80%

Durante a quarentena, brasileiros têm comprado cosméticos e roupas

Pesquisa exclusiva do Instituto Ipsos mostra que as pessoas não perceberam queda de preços em itens como vestuário e eletrônicos

Além de produtos essenciais, como alimentos, remédios e materiais de limpeza, na quarentena, as pessoas têm comprado itens que, em tese, são mais baratos e que não representam um risco ao orçamento doméstico. É o caso de cosméticos, roupas e calçados. Essa é a conclusão de uma pesquisa com 500 pessoas sobre hábitos de consumo realizada pelo Instituto Ipsos na nova plataforma Fast.Facts a pedido da Exame.

"Em geral, é necessário que haja estabilidade econômica para que as pessoas comprem produtos mais caros", explica Tânia Cerqueira, diretora de negócios do Ipsos. Segundo a executiva, quase metade dos entrevistados disse que não houve queda de preços de eletrônicos nem de vestuário - itens que aparecem nas primeiras colocações do levantamento como aspirações para quando a crise chegar ao fim. Entre os que perceberam queda, a maior parte acredita que os preços de roupas devem cair mais.

"Momentos de crise trazem consigo rupturas. Acredito que a forma de consumir roupas e produtos de beleza vai mudar, e as indústrias precisam se mexer. Têm de desenvolver materiais mais resistentes à lavagem, por exemplo, pois agora toda vez que se vai à rua é preciso lavar roupa."

Veja abaixo as principais conclusões do estudo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.