• BVSP 120.221,35 pts +0,7%
  • USD R$ 5,5043 +0,0596
  • EUR R$ 6,6455 +0,1041
  • ABEV3 R$ 15,89 -0,06%
  • BBAS3 R$ 30,18 +1,17%
  • BBDC4 R$ 23,49 +1,69%
  • BRFS3 R$ 23,8 +2,37%
  • BRKM3 R$ 52,4 +3,13%
  • BRML3 R$ 9,7 +0,94%
  • BTOW3 R$ 65,18 +0,28%
  • CSAN3 R$ 91,54 -1,93%
  • ELET3 R$ 36,53 +2,27%
  • EMBR3 R$ 15,27 +0,53%
  • Petróleo US$ 65,82 +0,37%
  • Ouro US$ 1.777,20 -0,38%
  • Prata US$ 26,07 -0,50%
  • Platina US$ 1.235,10 +2,28%

Correios cria plataforma que facilita compras nos Estados Unidos

Quem se cadastra no site Compra Fora ganha acesso a endereços de entrega nos Estados Unidos, que permitem que o produto seja importado para o Brasil

São Paulo - Você costuma fazer compras em sites americanos, mas algumas vezes o produto que você quer adquirir não é importado para o Brasil? Você não precisa mais depender de viagens dos amigos ou participantes de comunidades como Grabr para conseguir importá-lo.

A partir desta semana os Correios, em parceria com a Visa, passaram a receber o produto nos Estados Unidos e entregá-lo a consumidores no Brasil por meio de uma plataforma online, a Compra Fora. Quem se cadastra no site ganha automaticamente acesso aos endereços nos Estados Unidos para os quais poderá mandar a sua encomenda.

A compra é feita normalmente no e-commerce americano, com a diferença de que o endereço do parceiro dos Correios deverá ser fornecido no cadastro. Ao finalizar a compra, o cliente pagará o valor do produto mais o frete até o parceiro logístico. Assim que o produto chega ao armazém, o usuário recebe uma notificação da plataforma. A partir daí pode selecionar os serviços que deseja contratar e tipo de frete. Depois, basta realizar o pagamento das três taxas incluídas no processo de importação do produto com um cartão de crédito de qualquer bandeira.

As três taxas cobradas são: uma taxa postal fixa de 15 reais, uma taxa de manuseio da encomenda, que varia conforme tipo de serviços selecionados, e o frete internacional, também variável conforme a rapidez de entrega desejada. "Nossos preços são competitivos porque temos escala. Operadores privados podem pagar uma taxa postal quatro vezes maior", diz Marília Gabriela Luz, analista de importação dos Correios.

É bom deixar claro: enquanto o pedido para que amigos e desconhecidos recebam a encomenda em um hotel americano pode evitar o pagamento de impostos sobre o produto, que equivale a 60% do preço da compra, na plataforma dos Correios o consumidor deverá, necessariamente, incluir esse gasto adicional na compra.

Ainda assim, a compra lá fora pode valer a pena, especialmente no caso de compra de produtos com alto valor agregado.

Segundo simulação feitas pelos Correios, um Iphone X de 268gb desbloqueado está custando em torno de 6.704,94 reais no Brasil. Cotando o valor aproximado dos EUA, 999 dólares, com o endereço de residência em São Paulo, o consumidor pagaria, no total, 5.966 reais utilizando o serviço, já com taxas e valor de impostos incluídos.

Já um carrinho de bebê Quinny Zapp Flex Plus - Black on Black #1, que custa entre 2.564,05 e 2.699 reais no Brasil, pode ser importado por 1.355,44 reais, com base no valor do produto na Amazon.

No site é possível estimar quais serão os custos dos serviços e impostos com a Calculadora de Envio. Dessa forma, o comprador poderá avaliar se vale a pena comprar o produto lá fora ou no Brasil, pois saberá quanto irá gastar.

A plataforma possibilita o acompanhamento do status das compras e juntar de pacotes de diferentes lojas para economizar no envio. Nesse caso, o usuário pode pedir para o parceiro dos Correios armazená-la nos EUA por mais alguns dias para aguardar o recebimento de outras encomendas e formar um único pacote. Como a taxa postal que recai sobre os produtos é uma só, e os produtos podem ser colocados em uma embalagem menor, a economia de custos da importação pode chegar a 50%, de acordo com os Correios.

Por enquanto, os Correios têm um único parceiro logístico na plataforma, localizado em Miami. Caso o e-commerce escolhido para compra do produto não realizar entregas na cidade, o frete do produto nos Estados Unidos pode ser maior. A ideia, segundo Marília, dos Correios, é cadastrar mais parceiros com o tempo. Dessa forma, o usuário poderá escolher o endereço no qual é cobrado um frete menor.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.