• BVSP 120.061,99 pts -0,7%
  • USD R$ 5,5695 +0,0001
  • EUR R$ 6,7129 +0,0089
  • ABEV3 R$ 15,7 -0,19%
  • BBAS3 R$ 30,12 +1,69%
  • BBDC4 R$ 23,26 -1,52%
  • BRFS3 R$ 23,9 +0,13%
  • BRKM3 R$ 51,9 -1,69%
  • BRML3 R$ 9,82 +0,00%
  • BTOW3 R$ 65,89 -2,53%
  • CSAN3 R$ 92,46 +2,80%
  • ELET3 R$ 35,4 +1,03%
  • EMBR3 R$ 15,08 -2,27%
  • Petróleo US$ 64,88 -0,23%
  • Ouro US$ 1.787,30 -0,39%
  • Prata US$ 26,43 -0,81%
  • Platina US$ 1.208,00 -0,74%

Conheça a modalidade de venda que garante a recompra do seu carro

A recompra garantida está na moda e pode ser vantajosa para você, mas há regras

As fabricantes buscam soluções para driblar a ainda presente crise. A recompra garantida é uma delas, que visa fidelizar o cliente ao assegurar boas condições na revenda de seu usado e na compra de um zero-quilômetro. No entanto, a prática não é tão simples e varia de acordo com alguns fatores.

A Toyota garante a recompra do veículo por meio do programa Ciclo Toyota, que consiste em uma entrada de 30% do carro novo, o parcelamento em até 36 vezes e uma parcela final que pode variar entre 20% e 50% do total.

Ao finalizar o pagamento das parcelas comuns, a concessionária paga 85% da tabela Fipe do modelo para quitar a parcela residual. O que sobrar desse valor é utilizado como entrada na troca pelo novo.

As vantagens são duas: primeiro, você tem a garantia (e a facilidade) de que seu usado será recomprado pela marca. Segundo, as parcelas intermediárias ficam mais leves, deixando o grosso para ser quitado justamente pelo valor da recompra.

“Para quem quer trocar de automóvel em um curto período, esse tipo de plano é vantajoso, principalmente por ter uma parcela mais acessível”, disse o consultor Paulo Garbossa em outra reportagem a respeito do assunto, quando fizemos uma tabela comparativa com diversos modelos.

Chevrolet, Hyundai, Nissan, Peugeot e VW, além das premium Audi, Mercedes-Benz e, mais recentemente, a Volvo, também têm seus programas de recompra – também chamado de financamento balão.

Mais que o pagamento, os programas têm outras regras a serem seguidas.

No Ciclo Toyota, por exemplo, há até manual disponível na web: o usado deve ter quilometragem inferior a 15.000 km por ano, riscos e amassados não podem passar de 5 cm, trincas em faróis e lanternas não são tolerados, a pintura deve ser original, a manutenções deve estar em dia, eventuais acessórios devem ser originais e o carro deve estar limpo no dia da avaliação, que deve ocorrer em, no máximo, dez dias antes do vencimento da parcela final.

A modalidade, portanto, demanda bastante cuidado com o carro. Se ele não cumprir os requisitos, o comprador terá de refinanciar o saldo devedor (que, lembrando, pode chegar a 50% do valor total) para quitar o financiamento, ou então vender o veículo por conta própria, caso ainda deseje trocá-lo.

Este conteúdo foi originalmente publicado no site da Quatro Rodas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.