Renner pode surpreender e ação decolar, diz HSBC

Analista recomenda compra dos papéis antes da divulgação de resultados e coloca a varejista como preferida no setor

São Paulo – O terceiro trimestre da Lojas Renner (LREN3) deve surpreender o mercado positivamente. É com esta perspectiva que o analista do HSBC, Francisco Chevez, explica o motivo para elevar o preço-alvo às ações da companhia, de 83 para 88 reais, um potencial de valorização de 25,5%.

“Verificamos o progresso das vendas da Renner, assim como o desenvolvimento da marca, o programa de reforma de lojas e os novos centros de distribuição”, explica Chevez.

O relatório destaca que as vendas durante o terceiro trimestre têm sido mais fortes que as do trimestre passado, quando o crescimento das vendas mesmas lojas de apenas 3,4% representou o patamar mais baixo em 10 trimestres.

“Os resultados do terceiro trimestre dependem menos das condições climáticas que os do segundo, quando um inverno mais quente que o normal esfriou a demanda do consumidor, porém é sazonalmente o segundo período mais fraco do ano”, diz o analista.

O HSBC lembra que a Renner tem planos de reformar de 7 a 9 grandes lojas a cada ano. Normalmente, as lojas reformadas mostram um salto de 5% a10% em vendas.

Além disso, a análise menciona também o elevado nível de automação do novo centro de distribuição, que “aumentará a velocidade das entregas e reduzirá custos, permitindo assim várias entregas diárias às lojas”. A Renner deu início às operações do novo centro de distribuição no Rio de Janeiro em agosto, o qual deve estar em pleno funcionamento até o final do ano.

A Renner é a preferida do HSBC no varejo de vestuário e tem recomendação de compra. Em 2012, as ações da companhia mostram avanço de 52%.

A companhia divulgará seus números referentes ao terceiro trimestre no dia 30 de outubro, após o fechamento do mercado.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.