• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.748,70 +0,00%
  • Prata 26,19 +0,00%
  • Platina 1.209,30 +0,00%

Preços do petróleo sobem impulsionados pela tensão entre EUA e Irã

Barril do tipo Brent, para entrega em junho, é negociado acima de US$ 22. Tipo leve americano cotado a mais de US$ 15

Os preços do petróleo subiam nesta quinta-feira, com o aumento da tensão entre o Irã e os Estados Unidos, o que ofuscou por um momento as dificuldades relacionadas à pandemia do novo coronavírus que afundaram o mercado nesta semana.

Às 6h50 (horário de Brasília), o barril do tipo Brent, referência no mercado internacional e para a Petrobras, para entrega em junho, subia 9,33%, vendido a US$ 22,27. Na quarta-feira, fechou fo dia em alta de 5,4%, a US$ 20,37em, depois de atingir o patamar mais baixo desde junho de 1999, abaixo de US$ 16.

Em Nova York, o barril do petróleo leve americano, o WTI, referência nos Estados Unidos, também para entrega em junho, era negociado a US$ 15,68, ou seja, um aumento de 13,79%.

Nos últimos dias, a queda brutal na demanda por petróleo devido ao confinamento imposto para conter a epidemia de COVID-19 fez com que os preços caíssem abaixo de zero, uma situação sem precedentes no setor.

Os investidores estavam pagando para se livrar dos barris e os principais atores do mercado procuravam onde armazenar petróleo à espera de melhores tempos.

Na quarta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse ter dado a ordem para atacar e destruir qualquer embarcação iraniana que se aproximar perigosamente de navios americanos na área do Golfo Pérsico.

Na semana passada, os Estados Unidos acusaram Teerã de assediar navios americanos nas águas internacionais do Golfo, com lanchas passando "em alta velocidade" e "muito perto" dos navios americanos.

Bolsas europeias e asiáticas As bolsas europeias abriram em leve alta nesta quinta-feira, mas Londres e Frankfurt reverteram a tendência e operam em baixa. Às &h55 (hora de Brasília), o índice FTSE 100 de Londres recuava 0,24%, enquanto o Dax, da Bolsa de Frankfurt, apresentava queda de 0,11%. Já a Bolsa de Paris avançava 0,30%.

Na Ásia, a Bolsa de Tóquio fechou com alta de 1,52% e Seul subiu 0,98%. Em Honk Kong, a bolsa avançou 0,35%. Já as ações chinesas terminaram em baixa nesta quinta-feira, com a crescente incerteza econômica desencadeada pela pandemia de coronavírus, que mantém os preços dos papéis sob pressão, impedindo os investidores de continuar com a recuperação da sessão anterior.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 0,25%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,19%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.