Petróleo atinge US$ 104 em NY, maior preço desde 2008

Nova York – Os preços do petróleo voltaram a subir, em reação a informes sobre conflitos perto das instalações de petróleo da Líbia. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o preço de fechamento foi o mais alto desde 26 de setembro de 2008.

Testemunhas disseram que pelo menos quatro pessoas morreram em combates perto do terminal exportador de petróleo do porto de Ras Lanuf. Também circularam informes contraditórios sobre a situação na cidade portuária de Brega, onde há uma grande refinaria; fontes do governo disseram que “ainda há combates” na área, enquanto outros funcionários disseram que as forças de oposição ao governo do ditador Muamar Kadafi controlam a cidade.

O preço do petróleo negociado na Nymex subiu 23% desde o início da rebelião contra Kadafi, em 15 de fevereiro. Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), cerca de 1 milhão de barris por dia deixou de entrar no mercado por causa do conflito.

O operador Peter Donovan, da Vantage Trading, disse que os participantes do mercado preferiram comprar antes do fim de semana e em meio a temores de que mais reduções na oferta de petróleo poderão vir. “Ficar a descoberto nesse mercado não é para os fracos”, acrescentou.

Outro fator para a alta dos preços foram os sinais de melhora na economia dos EUA, com a taxa de desemprego caindo em fevereiro para abaixo de 9% pela primeira vez em quase dois anos.

Na Nymex, os contratos futuros de petróleo de abril fecharam a US$ 104,42 por barril, em alta de US$ 2,51 (2,46%). Na Intercontinental Exchange (ICE), os contratos do petróleo Brent para abril fecharam a US$ 115,97 por barril, em alta de US$ 1,18 (1,03%). As informações são da Dow Jones.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.